Aracaju - SE
Aracaju - SE

Capital Aracaju - SE                            
Area (Km²)   21 910,348
Números de Municípios 75
População estimada em 2010 2 068 031

 

 
Divina Pastora 1 - SE Divina Pastora 2 - SE Divina Pastora 3 - SE Divina Pastora 4 - SE

Divina Pastora - SE

Divina Pastora - SE                       Sergipe - SE                                  
População 4.326
Divina Pastora é um município brasileiro do estado de Sergipe.

Aspectos Históricos

Acredita-se que o município de Divina Pastora, distante 39 quilômetros de Aracaju, nasceu de um dos 400 currais de gado existentes em Sergipe na época da invasão holandesa. A plantação de cana-de-açúcar, que mantinha a pecuária e prevalecia na povoação, tempos depois deu lugar à cultura da cana-de-açúcar. Mas aos poucos os engenhos, que alavancaram a economia local e asseguravam emprego para os moradores, foram se fechando e deixando a população em situação difícil.

Não há registro do tempo exato em que a povoação Ladeira, nome dado inicialmente ao município de Divina Pastora, começou a se formar, mas há fatos que podem indicar uma data aproximada. Há indícios de que o Povoado Ladeira, na época do seu surgimento, pertencia à vila mais antiga da Região Cotinguiba, Santo Amaro das Brotas e quando o vigário Manoel Carneiro de Sá tomou posse da paróquia de Pé do Banco (atual município de Siriri), em 18 de fevereiro de 1700, a freguesia de Ladeira já existia.

A evolução administrativa propriamente dita da povoação Ladeira começou com sua independência política. Isto ocorreu quando seu território foi elevado à categoria de vila, por força da Lei Provincial de 12 de março de 1836, com denominação de Vila de Divina Pastora, desanexada do município de Maruim. Passado quase meio século do apogeu do ciclo da cana-de-açúcar e da pécuria, Divina Pastora foi elevada à categoria de cidade, de conformidade com a Lei Estadual nº. 150, de 15 de novembro de 1938.

Aspectos Econômicos

A economia de Divina Pastora está centrada na agricultura, com destaque no cultivo da cana-de-açúcar, mandioca e manga. A criação esta centrada nos rebanhos bovinos, equinos , suínos e nos galináceos. O comércio local não tem muita expressividade, há algumas mercearias, bares e pequenos restaurantes. Afora este comércio, a feira acontece todos os sábados.

A exploração do petróleo se constitui num elemento significativo para a economia divina-pastorense. Divina Pastora possui 258 poços de petróleo em atividade e dois restaurantes 24 horas da Petrobrás para atendimento de suas equipes, sendo que um está na cidade e outro no povoado Maniçoba.

Convém ressaltar o artesanato de Divina Pastora, que ganhou o mundo e ficou famoso, principalmente a Renda Irlandesa. Originária de Milão (Itália), não se sabem as razões desse nome. Além desta, a cidade conta com artesãs que desenvolvem o ponto cruz e o redendê.

As fontes de receitas do município estão pautadas em FPM, ICMS, Royalties, ITR, IPVA, ISS, IRF, IPI - Exportação, FUNDEB, dentre outros.

Aspectos Culturais

Igreja Matriz Nossa Senhora Divina Pastora

A povoação de Divina Pastora, localizada na Zona Canavieira, foi elevada à categoria de Paróquia em 31 de maio de 1835 e, à Vila, em 12 de março de 1836.

A Basílica é uma construção do século XVIII. O seu frontispício assinala o inconfundível estilo jesuítico no Nordeste. No seu interior predomina o barroco na sua Segunda fase e no forro da nave central está a maior pintura painelística de Sergipe, atribuída ao pintor baiano José Teófilo de Jesus.

A originalidade dessa Igreja consiste em possuir, ao longo da nave, um corredor aberto com cinco arcadas. Esta disposição é atribuída ao fato de ter sido Basílica Votiva de Peregrinação.