8fd635fd
São Paulo - SP

Capital São Paulo - SP                     
Area (Km²)   248.209.426
Números de Municípios 645
População estimada em 2010 41.252.160

 

 
Apiaí 1 - SP Apiaí 2 - SP Apiaí 3 - SP Apiaí 4 - SP

Apiaí - SP

Apiaí - SP                                             São Paulo - SP                                  
População 25.196
Apiaí é um município brasileiro do estado de São Paulo.

Localiza-se a uma latitude 24º 30'35.19311 Sul e a uma longitude 48º 50'33.47928 Oeste, estando a uma altitude de 1050 metros, com uma população estimada de 25.700 hab IBGE/2009 a Comarca de Apiaí está localizada na região do Alto Vale do Ribeira, Microrregião de Capão Bonito e pertence a Região Administrativa de Sorocaba.

História

Apiaí começou como uma pequena vila que vivia em função do extrativismo mineral da região. Thomaz Dias Baptista (tronco da família Dias Baptista), foi um dos fundadores da vila de Apiaí, junto com seu sogro Manoel Rosa Luiz e seu concunhado Francisco Xavier da Rocha este, obrigado a fugir de Minas Gerais, onde havia sido Capitão-Mor de um de seus "arraiais", por crime ali praticado, veio parar nestas regiões, ao sul, com 150 escravos, fundando então um pequeno povoado.

Sabendo, por intermédio de um caçador de Itapetininga, da existência de ouro nas nascentes do Rio "Apiaí"( Rio Menino na língua Tupi Guarani), vindo então a estabelecer-se no lugar, de nome "Capoeiras" (hoje o Distrito de Araçaiba - Apiaí - SP), tendo depois seguido adiante fundando uma das primeiras povoações, que dariam origem ao Município de Apiaí, com o nome de "santo Antonio das Minas".

Em 1.770, o Governador D. Luiz Antonio de Souza Botelho de Moura, elevou-se o nascente povoado á categoria de Vila com nova denominação de "Santo Antonio das Minas de Apiaí", em 1.774 começou seus trabalhos à Câmara Municipal.

A primitiva vila que deu origem á cidade de Apiaí, localizou-se em três lugares diferentes, sendo a mais antiga, hoje conhecido como Vila Velha dos Peões, distantes alguns quilômetros de Apiaí atual, compunha-se de escravos e aventureiros, dispostos a mudarem- se para o primeiro lugar lhes oferecessem melhores vantagens. Foi assim que á procura de ouro muitos foram estabelecer-se junto ao "Morro do Ouro"( localizado no centro do município), dando origem a outra povoação. Mais tarde, correndo ali um desmoronamento em que cem pessoas morreram soterradas, paralisando-se a mineração, visto que o Morro estava com muitas escavações para a exploração do precioso ouro, podendo ocorrer novos desmoronamentos, mesmo porque não havia ouro em quantidade suficiente para satisfazer a ambição de todos os exploradores (ingleses, americanos e os japoneses), muitos abandonaram o lugar e outros embrenharam-se nas matas vizinhas dedicando-se a lavoura.

Tais núcleos de povoação foram elevados, por Portaria de Morgado de Mateus e sancionada pelo governador de São Paulo, D. Luiz Antonio de Souza Botelho de Moura, à categoria de município, no ano de 1.771. Constitui-se então o município dos atuais territórios, que hoje são os municípios de Ribeira, Iporanga e parte do Paraná( cidades estas que hoje fazem parte do Parque Estadual Turístico do Vale do Ribeira - PETAR).

Tendo a lei Estadual de 19/12/1906. Sob o nº 1.038, a sede municipal recebeu Foros na cidade, finalmente pela lei Estadual nº 2.840, de 7 de janeiro de 1.937, Apiaí, foi elevada a categoria de Comarca.

Atualmente Apiaí é um município turístico, com vários morros, dentre eles o Morro do Ouro, o mais famoso de todos. Cercado pela Mata Atlântica, possui muitas grutas e cachoeiras e faz parte de roteiros turísticos. cidade de clima frio, localizada no Vale do Ribeira, numa região declarada pela UNESCO como “Reserva da Biosfera do Patrimônio Mundial”, tendo na região de Apiaí o maior remanescente de Mata Atlântica do país, evidenciando uma riqueza paisagística composta de recursos naturais de rara beleza.

Estação Meteorológica Automática

Apiaí possui uma Estação Meteorológica Automática com capacidade de medir, de forma precisa, dados meteorológicos, tais como: Temperatura do Ar, Umidade Relativa, precipitação em Milímetros, velocidade dos ventos e radiação solar. O Equipamento foi instalado pelo Ciiagro.

O Centro Integrado de Informações agrometeorológicas (CIIAGRO) foi criado em 1988 com a finalidade de operacionalizar e disponibilizar informações e aconselhamento às atividades agrícolas com base nos parâmetros agrometeorológicos e previsão do tempo. As atividades agrícolas que o CIIAGRO procura dar suporte são: calendário agrícola, preparo do solo, aplicação de produtos químicos agrícolas, monitoramento de irrigação, datas de maturação e colheita, controle e manejo de pragas e doenças vegetais, transporte de produtos agrícolas, operações florestais tais como incêndios, geadas e outros fenômenos adversos, manejo agrícola e outras atividades correlatas. Com o tempo foram incorporados ao CIIAGRO diversos índices de quantificação das adversidades agrometeorológicas, como: riscos climáticos, alerta de geada, zoneamento agrícola, manejo de irrigação e diversos outros. A idéia concebida no CIIAGRO é atualmente utilizada como suporte a projetos e metodologia de estudo por vários centros federais e estaduais de pesquisa e desenvolvimento.

O que faz o CIIAGRO Diariamente os dados meteorológicos, através de um sistema web, são incorporados ao banco de dados composto por 146 localidades ou pontos de coleta. Os principais dados inseridos são a temperaturas máxima e mínima do ar e precipitação diária. Além disto, os outros parâmetros da rede observacional estão disponíveis para consulta, analise e geração de produtos. Com base neste arquivo são elaborados duas vezes por semana boletins agrometeorológicos que levam em conta o tipo de solo e cultura. Semanalmente são elaborados balanços hídricos conforme metodologia de Thorthwaite S. Mather (1955). Mensalmente é feita uma síntese agrometeorológica hídricos, e analisada as condições agrometeorológicas em funçaõ da média histórica e comparativamente com anos anteriores. Analises como calendário agrícola, zoneamento agrícola , normais climatológicas, cenários de mudança climática e projeção do comportamento vegetal e da reserva hídrica dos mananciais é feita.. Outros índices que avaliam o desenvolvimento vegetal ou condições de interesse hídrico são rotineiramente avaliados por meio de quadros e mapas. Os dados meteorológicos são obtidos de estações meteorológicas tanto automáticas como mecânicas pertence à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, coordenadas e operadas pelo IAC/CIIAGRO com apoio do PEMBH, de diversas entidades parceiras, publicas ou privadas de âmbito Estadual e Federal. O CIIAGRO incorpora informações das Estações Meteorológicas Mecânicas, assim como de uma Rede de Estações Meteorológicas Automatizadas.

Agricultura

A agricultura e a pecuária são os principais tipos de uso da terra ocorrentes em Apiaí. Destaca-se no município a agricultura organizada em sistema familiar, com a concentração da produção focada na cultura do tomate. De acordo com dados do IBGE (2002), no ano de 2002 foram produzidas 70.000 toneladas de tomate no município. O milho também possui cultivo expressivo em Apiaí. Arroz, feijão e mandioca são outras lavouras temporárias comumente cultivadas pelos agricultores. A fruticultura detém presença importante entre as lavouras permanentes, onde as mais expressivas são as de caqui, pêssego e em menor quantidade, laranja. A pecuária é predominantemente formada por animais de dupla aptidão (corte e leite), com um rebanho estimado de 5.750 cabeças de bovinos e 440 cabeças de bubalinos em 2002 (IBGE, 2002). Reflorestamentos de eucalipto (Eucalyptus sp) e pinheiro (Pinus sp) são freqüentes na região, principalmente para a produção de papel e celulose, resina, carvão vegetal, lenha e de madeira. O município possui ainda granjas para criações de galinhas e produz mel de abelha. O núcleo urbano de Apiaí situa-se imediatamente a nordeste, externamente a área demarcada para a AII (Área de Influência Indireta da UHE Tijuco Alto). Constitui rota de passagem, por meio da rodovia SP-250, dos municípios situados na AII para outras regiões do estado de São Paulo, especialmente Sorocaba, São Roque, Itapeva, Itapetininga e Capão Bonito, importantes mercados para os produtos produzidos na região. Possui médias densidades de equipamentos urbanos e estabelecimentos.

Economia

Apiaí possui em sua Comarca 07 indústrias, sendo a de maior porte a Camargo Correa Cimentos S/A, 448 estebelecimentos comerciais e 198 de serviços. Os principais jornais de circulação local são: Expresso Apiaí com periodicidade semanal, Tribuna Regional (semanal) e Jornal Apiai TEM (Quinzenal). A comarca possui 04 estabelecimentos bancários: Banco Bradesco S/A, Banco do Brasil S/A, Banco Santander Brasil S/A e HSBC Bank Brasil S/A. O Município tem um total de 20.199 eleitores.

    Fonte: Siapnet - Dados de 2008 TCE-SP


Apiaí é uma das cidades onde se encontra o Trecho Sul do Gasoduto_Bolívia-Brasil também conhecido como Gasbol, é uma via de transporte de gás natural entre a Bolívia e o Brasil com 3.150 quilômetros de extensão, sendo 2.593 em território brasileiro (trecho administrado pela TBG) e 557 em território boliviano (trecho administrado pela GTB). O trecho sul tem 698 km e compreende os municípios de Campinas, Monte Mor, Indaiatuba, Elias Fausto, Salto, Itu, Porto Feliz, Sorocaba, Iperó, Araçoiaba da Serra, Capela do Alto, Sarapuí, Itapetininga, Capão Bonito, Itapeva, Ribeirão Branco, Apiaí, Barra do Chapéu e Itapirapuã Paulista

O gás natural, além de propiciar substancial economia de divisas com importação de petróleo, diversifica as fontes de suprimento de energia com um produto de características superiores. Conseqüentemente, eleva os níveis de eficiência, qualidade e produtividade nos diversos segmentos que utilizam gás natural, proporcionando melhoria dos padrões ambientais, principalmente nos grandes centros urbanos, graças à substituição de outras formas de energia mais poluentes.

É importante ressaltar os benefícios que o Gasoduto proporcionará ao longo do seu traçado: Aumento da disponibilidade de combustível; estímulo à instalação de novas indústrias; combustível menos poluentes; aumento de ofertas de empregos; aumento da demanda por bens e serviços.