Florianópolis - SC
Florianópolis - SC

Capital Florianópolis - SC                             
Area (Km²)   95 346,181
Números de Municípios 293
População estimada em 2010       6,248,436

 

 
Araquari 1 - SC Araquari 2 - SC Araquari 3 - SC Araquari 4 - SC

Araquari - SC

Araquari - SC                                               Santa Catarina - SC                                  
População 24.814
Araquari é um município brasileiro do estado de Santa Catarina.

Localiza-se a uma latitude 26º22'12" sul e a uma longitude 48º43'20" oeste, estando a uma altitude de 9 metros. Sua população em 2008 era estimada em 22.467 habitantes.

História

Como muitas cidades litorâneas do Estado de Santa Catarina, Araquari tem seu mito fundador vinculado ao processo de ocupação européia na América, já na primeira fase das grandes navegações. Por conseguinte, segundo informações obtidas nos documentos disponibilizados pela secretaria de cultura do município, sobre o surgimento do município, convencionou-se que a fundação europeia de Araquari situa-se 40 anos depois do descobrimento do Brasil.

O navegador espanhol Álvaro Nunes Cabeza de Vaca aportou onde hoje é Barra Velha e incentivou a exploração da região norte, até então habitada por indígenas. A expedição reuniu 250 homens da confiança de Cabeza de Vaca, 40 cavalos, alguns escravos e um grupo de índios catequizados pelos jesuítas. Um mês depois, chegavam a Araquari, que chamaram primeiro de Paranaguá Mirim (“enseada pequena”, em tupi-guarani) e depois de Paraty.

Em 1658, os primeiros bandeirantes portugueses fixaram-se na região, habitada por índios carijós, mas a fundação efetiva da vila só aconteceu em 1848, quando uma nau portuguesa aportou em Paraty sob o comando de Manoel Vieira, que ali fundou uma pequena colônia. A ele teria se juntado outro pioneiro, de nome Joaquim da Rocha Coutinho. Os dois decidiram fundar uma vila, mas não conseguiram chegar a um acordo quanto ao local. O Juiz da Comarca de São Francisco decidiu em favor de Rocha Coutinho que mandou construir casas às margens do rio Parati, cercando pastagens e plantações. Sendo ambos considerados os fundadores da freguesia de Senhor Bom Jesus do Paraty em 1854, mas ainda fazendo parte do município de São Francisco do Sul.

O arraial do Parati, como era chamada a localidade, pertencia a então vila de Nossa Senhora das Graças do Rio São Francisco e foi elevada à categoria de freguesia (ou distrito) pela Lei Provindical Número 375, de 8 de junho de 1854. O território compreendido entre os rios Cubatão e Itapocú no município de São Francisco foi desmembrado da Paróquia de Nossa Senhora da Graça, para formar a Freguesia Senhor Bom Jesus do Parati. A Matriz da freguesia foi construída em terras doadas por Manoel Pereira Lima e sua mulher.

A emancipação política aconteceu no dia 5 de abril de 1876 e o primeiro prefeito, Francisco José Dias de Almeida foi empossado somente em 1887.

Em 1923, após muitos anos de vida autônoma, Paraty perdeu a condição de município e voltou a fazer parte de São Francisco do Sul. Durante este período Parati era administrada por um Conselho Municipal (espécie de Câmara de Vereadores), composto por cinco membros: Crispim Henrique Ferreira (presidente), Jovenal Pereira Walter, Hercílio Rosa, Onofre José Bernardes e Emílio Manoel Junior. Somente em 1925, o distrito voltou à categoria de Cidade.

De acordo com o Decreto Lei Nº. 941, de 31 de dezembro de 1943, passou a se chamar Araquari (“rio de refúgio dos pássaros”, em tupi-guarani), o nome foi dado em função do canal que serve de divisa entre os municípios de Araquari e São Francisco do Sul, em cujos banhados habitavam várias espécies de aves aquáticas, como biguás, garças, socós, gaivotas, e outros tipicamente terrestres como a araquã.

Em mapas antigos, o nome é grafado como Lecori, Ancori, Lencori, Aracoary e Araquari; a grafia exata provavelmente provém de “ará” – papagaio grande; “quara” ou “cuara”- buraco, garganta, refúgio e “y” – água.

No livro n° 1 de doação de sesmarias (1753-1806) do governo da capitania de Santa Catarina, encontramos a doação de "150 braças de terras a Manoel de Oliveira Cercal, no dia 30 de abril de 1806, no rio do Parati". Portanto, presume-se ser o primeiro morador da região de Araquari a se estabelecer com propriedade, do qual se tem registro documental. Outros moradores requereram terras nos anos seguintes na região, considerando os nomes antigos dados à comunidade.

Confirmando a denominação de Paranaguá-Mirim, no início do século XIX, tem-se no ano de 1807: “No dia 23 de julho, a doação de terras, no total de 150 braças, de frente a José Antonio de Miranda no rio Paranaguá, no termo da vila de São Francisco.

Em 23 de junho de 1808 ocorre nova doação de terras junto ao rio Parati, desta feita, 200 braças de terras de frente, doadas a Sebastião Budal. Em 6 de outubro de 1813 ocorreu a doação de uma grande área de terra de frente para o rio Cubatão, totalizando 1.500 braças, que foi dada a Salvador Dias do Rosário. Estes dados indicam que as atuais terras do município de Araquari já estavam sendo ocupadas de forma sistemática no início do século XIX.”

Principais atividades econômicas

A principal atividade econômica de Araquari alicerçada na agricultura, com destaque para as culturas do arroz, da banana e, é claro, do maracujá - a que mais se destaca e caracteriza a cidade como a Capital Catarinense do Maracujá.

Características geográficas

Possui uma área de 402,62 km².

No que diz respeito aos atrativos naturais, o município possui inúmeros rios e braços de rios facilmente navegáveis, os manguezais com sua exuberante flora e fauna, o salto d`água do Guamiranga a, aproximadamente, 50Km da sede do município, na divisa com São João do Itaperiú.

Administrativamente Araquari já passou por varias mudanças, tendo seu território alterado por várias vezes.

Educação

O município apresenta, segundo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, um quadro de escolaridade representado por 4.428 matrículas nos diferentes níveis; (educação infantil - pré-escolar - 183; 1ª a 4ª séries - 2.570; 5ª a 8ª séries - 1.048; ensino médio - 293; supletivo - 335), que corresponde a 23% da população do município nos bancos escolares.