5a282c4f
Porto Velho - RO

Capital Porto Velho - RO                             
Area (Km²)   237 576,167
Números de Municípios 52
População estimada em 2010        1 562 409

 

 
Espigão D'Oeste 1 - RO Espigão D'Oeste 2 - RO Espigão D'Oeste 3 - RO Espigão D'Oeste 4 - RO

Espigão D'Oeste - RO

Espigão D'Oeste - RO                        Rondônia - RO                                     
População 28.962
Espigão do Oeste é um município brasileiro do estado de Rondônia.

Com uma população de 28 962 habitantes (IBGE 2011), a cidade é a 13ª mais populosa de Rondônia e a 116ª mais populosa da região Norte do Brasil. Possui o 40º melhor IDH da região Norte e o melhor IDEB de Rondônia, possuíndo 8 das 50 melhores escolas públicas do estado. O município é sede da Federação de Motociclismo do Estado de Rondônia e o atual campeão do Campeonato Rondoniense de Futebol, com o Esporte Clube Espigão. Em 1999, Priscila Giacomolli, representando a cidade, venceu o concurso Miss Rondônia e representou o estado no Miss Brasil 1999.

História

Em 1956, na cidade de Andradina, São Paulo, durante uma reunião familiar na casa do Sr. João Guerino Melhorança, os irmãos José Cândido, Nilo Tranqüilo e Romeu Melhorança, ouviram no rádio uma nota do governo, que convidava os brasileiros para a integração da Bacia Amazônica. Então os imãos Melhorança decidiram logo empreender uma viagem para o Acre e assim, depois de uma longa viagem de muitos sacrifícios chegaram a Pimenta Bueno. No dia 13 de abril de 1956, quando estavam às margens do Rio Barão de Melgaço, tiveram um encontro histórico com o Sr. Raimundo Euclides Barbosa, que sabedor de suas intenções, convidou-os para que aqui ficassem, mudando então, o rumo de suas vidas.

Assim decididos, retomaram à Andradina, onde organizaram uma firma colonizadora a qual recebeu o nome de ITAPORANGA (Ita = Pedra, Poranga = Dura). Em Fevereiro de 1967, deram início à tão sonhada colonização. Partindo de Pimenta Bueno, deixaram a BR-29 e iniciaram um cantinho de 28 Km e apesar das dificuldades, chegaram ao alto de uma colina, a qual foi chamada de Espigão. Surgiu então em seguida um núcleo, civilizado, com a construção de pequenas casas cobertas de palha e paredes de coqueiro para os colonos que recebiam lotes na vila para morar e áreas demarcadas no setor rural.

No ano de 1969, Espigão já era uma Vila e em 12 de agosto de 1970, numa cerimônia emocionante foi plantado um cruzeiro por Vicente Vanin Martins e junto ao cruzeiro, uma garrafa, tendo em seu interior um papel com os comes das pessoas que participaram do evento. Na ocasião, por falta de vinho, não foi celebrada a 1ª missa, a mesma aconteceu mais tarde, no dia 07 de setembro de 1970, sendo então celebrada pelo Padre Adolfo Rool. Mas as dificuldades dos colonizadores não pararam aí. Nos anos seguintes, especialmente em 1975, vários acontecimentos marcaram tragicamente o povo tão sofrido de Espigão do Oeste, que lutavam por um futuro melhor. A colonizadora ltaporanga dividia os lotes em 2000 ha e cobrava dos colonos apenas o trabalho de topografia, isto é, a demarcação dos mesmos. No entanto, o INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) só regularizaria as terras, se os lotes fossem reduzidos a 100 ha, e os colonos retirassem um interdito probatório que eles haviam impetrado contra o Instituto, como medida de garantia da posse das terras.

Porém, esta proposta foi acolhida com desagrado pelos colonos e houve revolta geral, quando receberam a notícia de que funcionários do INCRA viriam para cortar as terras. Indignados, os colonos decidiram serrar a ponte sobre o Igarapé Amola Faca, para impedir a passagem dos tais funcionários, mas nesse mesmo dia, 28 de abril de 1975, policiais armados invadiram a Vila de Espigão e num ato de injustiça e crueldade espancaram trabalhadores bons e honestos. Várias pessoas foram presas e somente depois de muita luta, conseguiram liberdade. Em compensação à tanto sofrimento, conseguiram logo em seguida os documentos das terras.

Com isso, encerrou-se a dolorosa etapa pela qual passou o povo de Espigão do Oeste, sendo então nomeado como o 1º administrador o Sr. José Salla.

Relevo

A área urbana do município de Espigão do Oeste é composta de terras baixas e altas, isto é, ligeiramente onduladas; enquanto que a área rural apresenta ondulações mais acentuadas como morros e serras, sendo o ponto mais alto a Serra Azul, com 543 metros, localizado a 70 km da sede do município.

Vegetação

Em Espigão do Oeste, como em todo o Estado de Rondônia. Predomina a Floresta Equatorial (ou amazônica) e uma pequena parte de cerrado. A Floresta Equatorial: É composta de grande quantidade de árvores dos mais variados tamanhos entrelaçados de cipós e plantas menores. Existem três tipos de florestas:

    Mata de Igapó;
    Mata da Várzea;
    Mata de terra firme,

Uma pequena parte do município é formada por cerrado, que são árvores baixas, com galhos retorcidos, folhas grandes, tronco torto recoberto de cascas grossas. Crescem vegetações baixas e outras rasteiras como gramíneas e capins. Essas pequenas árvores, por nascerem em região mais ou menos seca, apresentam raízes que, chegam a atingir 20m à procura de água.

Hidrografia

O município de Espigão do Oeste possui vários rios, sendo os mais importantes:


    Rio Roosevelt: banha uma grande parte do município e deságua no Estado do Mato Grosso.
    Rio 14 de Abril: nasce no município e deságua no Estado do Mato Grosso.
    Rio Ribeirão Grande: nasce no município e deságua no Estado do Mato Grosso.
    Rio Palmeiras: que abastece a cidade.

Apresenta também muitos Igarapés, sendo o mais importante:

    Igarapé Félix Fleury.

Clima

O clima da região segundo Koppen, é do tipo Am, corresponde às florestas tropicais com chuvas do tipo monção. Caracteriza-se por elevadas precipitações cujo total compensa a estação seca, permitindo a existência de floresta. Esse tipo climático domina toda a área, onde a temperatura média fica em torno de 27°C.

Os volumes anuais de precipitações ficam entre 1.800 e 2.500 mm.

Os valores médios da umidade relativa fica entre 60% e 75%.

Extrativismo mineral

Em Espigão do Oeste, foi comprovada a existência de vários minérios como:

    Ouro;
    Cassiterita;
    Calcário;
    Cimento e
    Diamante: abundante na Reserva Roosevelt.

Usina do calcário

No município, está localizada a única jazida de calcário de Rondônia, que possuí uma jazida de aproximadamente 260 milhões de toneladas de calcário para ser explorada por cerca de 200 anos. De grande utilidade na correção da acidez e por melhorar o aproveitamento dos nutrientes do solo, o calcário é muito procurado pelos agricultores que querem melhorar suas terras e a produtividade. A usina produz em média cerca de 3,5 toneladas por mês e conta com 16 funcionários.

Reserva Roosevelt

Na Reserva Roosevelt, formada por 2,7 mihões de hectares e de propriedade dos Indíos Cintas-Largas, localizada em Espigão do Oeste, habitam cerca de 1.200 indíos.

Um estudo inédito que mapeou as reservas minerais do Brasil, apontou que o garimpo do Roosevelt é de uma espécie raríssima. Elaborado pela Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM), o levantamento apontou que o kimberlito tem 1,8 bilhão de anos e uma capacidade de produção de no mínimo um milhão de quilates por ano. Esse número subestimado coloca a Roosevelt, no mínimo, entre as cinco maiores minas de diamantes do mundo. A capacidade real somente poderá ser verificada com uma análise mais detalhada, o que ainda não foi feito, pois o garimpo está localizado em área indígena. Para especialistas, a sondagem poderá indicar a Roosevelt como a maior mina do planeta.

Lazer

    Exposição Agropecuária e Industrial de Espigão do Oeste - EXPOESTE (anualmente)
    Reveillon (anualmente)
    Festa da Comunidade Luterana da Paz (anualmente)
    Festa Típica da APAE (anualmente)
    Festa da Laranja (anualmente)
    Festa Típica Pomerana (anualmente)
    Rally da Grande Família (anualmente)
    Rally das Garotas Super Poderosas (anualmente)
    Desafios dos Estados - Etapa Rondônia (frequentemente)
    Carnaval (anualmente)
    Festas das Festas (anualmente)
    Desfile Cívico de 7 de Setembro (frequentemente)