Natal - RN
Natal - RN

Capital Natal - RN                              
Area (Km²)   52 796,791
Números de Municípios 167
População estimada em 2010 3 168 027

 

 
Alexandria 1 - RN Alexandria 2 - RN Alexandria 3 - RN Alexandria 4 - RN

Alexandria - RN

Alexandria - RN                                                Rio Grande do Norte - RN                                  
População 13.507
Alexandria é um município brasileiro, localizado no interior do estado do Rio Grande do Norte.

Pertencente à Microrregião de Pau dos Ferros e à Mesorregião do Oeste Potiguar, localiza a oeste da capital do estado, distando desta 369 quilômetros. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano 2010 sua população é de 13 475 habitantes.

Limita-se com os municípios de Pilões e Antônio Martins (norte), João Dias (leste), Tenente Ananias e Marcelino Vieira (oeste) e com a cidade de Bom Sucesso e Santa Cruz no Estado da Paraíba (sul).

A sede do município está a 6° 24’ 46” de latitude sul e 38° 00’ 57” de longitude oeste. A altitude é de 319 m acima do nível do mar e a distância rodoviária até a capital é de 369 km.

De acordo com o IDEMA, o solo da região é do tipo podzólico vermelho amarelo equivalente eutrófico. Sua aptidão para a atividade agrícola é restrita para lavouras, sendo apta para culturas de ciclo longo, como algodão arbóreo (segundo a Embrapa, a melhor época para plantio no município é no mês de fevereiro), sisal, caju e coco. Pequena área isolada a sudeste com aptidão regular para pastagem natural. No sudeste há também algumas áreas indicadas para preservação da flora e da fauna ou para recreação.

O principal acidente geográfico é a Serra Barriguda, com 602 m, mas o ponto culminante é a Serra de Santana, localizada no sítio de mesmo nome.

A pluviosidade normal do município é de 762,6 mm/ano. As temperaturas médias anuais são de 33°C (máxima), 28°C (média) e 18°C (mínima).

História

A primeira denominação da localidade, ainda nos séculos XVIII e XIX, foi Barriguda e, segundo o historiador e médico local Dr. Antônio Fernandes Mousinho, existem duas versões que justificam o nome: a primeira está relacionada a uma serra existente nas proximidades da cidade (Serra da Barriguda) que apresenta o formato anatômico do ventre de uma mulher grávida; a segunda à presença de uma árvore existente em um olho d'água encontrado no sopé da referida serra e que era conhecida na região pelo nome de Barriguda.

No início do Século XX passou a chamar-se de Alexandria em homenagem à Sra. Alexandrina Barreto, filha do proprietário das terras locais Domingos Velho Barreto e casada com o Dr. Joaquim Ferreira Chaves, político que já ocupara os cargos de Senador da República, Governador do estado do Rio Grande do Norte e ministro de estado.

A povoação de Alexandria passou à condição de Vila em 13 de dezembro de 1923. O município de Alexandria foi emancipado de Martins com a publicação do Decreto nº 10, de 7 de novembro de 1930. Na época, sob o impacto do assassinato de João Pessoa, foi rebatizada com o seu nome.

Em 24 de outubro de 1936 é aprovada e sancionada pelo então governador Rafael Fernandes a Lei Estadual nº 19, dando-lhe a categoria de cidade e, ao mesmo tempo, trazendo de volta a denominação de Alexandria, vez que o nome João Pessoa não teve aceitação popular.

Educação

De acordo com o Censo Escolar realizado pela Secretaria de Educação do Estado do RN, Alexandria dispõe de 18 unidades públicas estaduais e municipais de ensino. A rede estadual é integrada por 5 escolas, e a Municipal conta com 11 estabelecimentos. A rede privada de educação dispõe de 2 estabelecimentos de ensino infantil e fundamental. O quadro de professores tem cerca 159 docentes, em todos os níveis de educação, de acordo com o IBGE 2009. A taxa de analfabetismo é de 37,49% da população com mais de 15 anos de idade, conforme apurou o Censo 2000 do IBGE.

No ensino superior, a cidade conta com o Núcleo de Ensino Superior da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) que oferece os cursos de Ciências contábeis e História.

Economia

Em 2008, conforme estimativas do IBGE, o PIB era de R$ 55 milhões e o PIB per capita para R$ 3,921,60.

O setor Comercial de Alexandria conta com vários estabelecimentos nas áreas de alimentação, varejo, confecções, calçados e de tecnologia. Destaque para Rede Oeste de Supermercados.

Já o setor industrial está mais concentrado em panificadoras, fabricação de rapaduras, várias mini-industrias de confecções e calçados, e na produção de água mineral purificada, pela empresa Àgua do Céu.

Um fator preponderante para o incremento econômico da cidade foi a chegada dos trilhos da estrada de ferro Mossoró-Sousa em 1951. Infelizmente as atividades do setor foram paralisadas em 1991.

Produção agrícola

A utilização agrícola deve ser restrita a culturas resistentes a um longo período de estiagem (algodão arbóreo). Pequenas áreas são cultivadas com culturas de subsistência, como milho e feijão.

Aptidão Agrícola: restrita para lavouras, aptas para culturas de ciclo longo, como, algodão arbóreo, sisal, caju e coco. Pequena área isolada a sudeste com aptidão regular para pastagem natural. A sudeste há algumas áreas indicadas para preservação da flora e da fauna ou para recreação.

Sistema de Manejo: baixo e médio nível tecnológico. As práticas agrícolas dependem do trabalho braçal e tração animal com implementos agrícolas simples.

Atrações Turísticas

Muitas são as atrações turísticas na cidade, entre eles tem a Serra da Barriguda, um pico de granito, com altitude de 602 metros acima do nível do mar e altura de 310 metros, é a maior referência e eterno cartão postal da cidade. Chamada de serra barriguda por na sua parte frontal e com total destaque, a pedra se assemelha com uma mulher grávida.

Tratando-se de Carnaval no Rio Grande do Norte, uma referência especial ao Carnaval de Alexandria, considerado um dos melhores do estado. Há décadas, o carnaval de Alexandria é o melhor do interior do estado, sendo, sem dúvida, o de maior frequência e sucesso do Oeste Potiguar, animado principalmente, pelos inúmeros blocos que atuam no período de momo. É caracterizado pelos ritmos Axé Music e Frevo. Existe também na localidade uma Micareta, denominada Alefolia que já trouxe várias atrações baianas para a cidade como: Araketu, Ricardo Chaves, Harmonia do Samba, É o Than! entre outras.

O mais relevante evento Religioso é a festa da padroeira Nossa senhora da Conceição comemorada no período de 28 de novembro a 8 de dezembro. A festa consegue reunir considerável parte da comunidade católica, oferecendo uma programação religiosa, social e cultural.