Rio de Janeiro - RJ
Rio de Janeiro - RJ

Capital                        Rio de Janeiro - RJ                          
Area (Km²)   43 696,054
Números de Municípios 92
População estimada em 2010 15 993 583

 

 
Itaperuna 1 - RJ Itaperuna 2 - RJ Itaperuna 3 - RJ Itaperuna 4 - RJ

Itaperuna - RJ

Itaperuna - RJ                      Rio de Janeiro - RJ           
População 95 876
Itaperuna é um município brasileiro no interior do estado do Rio de Janeiro. Pertencente à Mesorregião do Noroeste Fluminense e a Microrregião de Itaperuna. Localiza-se ao norte da capital do estado, distando desta cerca de 313 quilômetros. Ocupa uma área de 1105.566 km² e sua população, em 2010, foi estimada pelo IBGE em 95 876 habitantes, sendo assim o 27º município mais populoso do estado do Rio de Janeiro e o primeiro de sua microrregião.

História

A região de Itaperuna foi utilizada, antes do século XIX, por bandeirantes e aventureiros que demandavam a baixada pelos afluentes da margem esquerda do rio Paraíba do Sul. Por volta de 1830, entretanto, instalou-se, na área, o desbravador José Lanes Brandão, com iniciativas que passaram a atrair população para o núcleo pioneiro do futuro município.

A atividade econômica predominante, no início, foi a criação de gado, que se desenvolveu em fazendas de grandes extensões, mas, a partir do final do século XIX, com o advento da economia cafeeira, a colonização se efetuou de forma rápida e uniforme.

A povoação foi elevada à categoria de vila em 1887, com a denominação de São José do Avaí, favorecida pela posição geográfica de maior acessibilidade a Campos, reforçada posteriormente pela ligação ferroviária. A área experimentou crescimento regional, concomitante à ampliação de sua importância administrativa, e em 1889 foi elevada à categoria de cidade, com o nome de Itaperuna.

O desenvolvimento da economia cafeeira na área foi responsável pela concentração de atividades comerciais e de serviços na cidade de Itaperuna, que passou a desempenhar funções de centro sub-regional do nordeste fluminense. O declínio da atividade cafeeira fez com que a região passasse a sofrer fortes efeitos regressivos. A pecuária de corte desenvolveu-se, então, voltada para o abastecimento dos grandes matadouros e frigoríficos, desenvolvendo-se, posteriormente, a produção leiteira, estimulada pela presença da fábrica de leite em pó Glória na sede municipal.

A área municipal, atualmente, não abrange a mesma base territorial da época da criação, que se estendia aos atuais municípios de Laje do Muriaé, Natividade e Porciúncula, porém sua importância permanece na região. A cidade teve o núcleo inicial em torno da linha da estrada de ferro, à margem esquerda do Rio Muriaé. Hoje, ambos os lados do rio estão ocupados pela malha urbana.

A região de Itaperuna foi desbravada por José de Lannes Dantas Brandão a partir de 1829, após sua deserção da milícia do exército. Ao chegar nessa região em 1834, se estabeleceu num lugar que foi denominado Porto Alegre. Pelos serviços de colonização prestados à coroa, com o advento da economia cafeeira foi perdoado, tendo sido morto por seus escravos em 1852.

Em 24 de novembro de 1885, o decreto número 2810 elevou a freguesia de Nossa Senhora da Natividade de Carangola (um dos primeiros nomes da cidade) à categoria de vila de Itaperuna, levando esse nome por ser passagem para se chegar à pedra do Elefante, localizada em Carangola, estado de Minas Gerais. Em 1887, foi criada a freguesia de São José do Avaí, nome em homenagem às armas brasileiras na guerra do Paraguai. Foram doados quinze alqueires de terra para patrimônio dessa vila pelo senhor Jayme Porto.

Em 10 de maio de 1889, foi feita a primeira eleição para a câmara dos vereadores, sendo a vitória dos republicanos, que tomaram posse no dia 4 de julho do mesmo ano, sendo, portanto, a primeira câmara republicana do país, em pleno regime monárquico, regime esse que viria a ser desbancado pelo marechal Deodoro da Fonseca em 15 de novembro desse mesmo ano.

Em 6 de dezembro de 1889, foi a vila de São José do Avaí transformada em município de Itaperuna, sendo criada sua respectiva comarca.

A cultura cafeeira foi um grande destaque na economia da cidade por mais de quatro décadas, tornando-a, em 1927, a maior produtora nacional.

Do território original do município de Itaperuna, foram desmembrados os seguintes municípios: Bom Jesus do Itabapoana em 1938, Natividade e Porciúncula em 1947 e Laje do Muriaé em 1962, ficando Itaperuna com seu atual contorno.

Geografia

Itaperuna recebe as águas do rio Muriaé e do rio Carangola. O rio Muriaé nasce no município de Miraí, na Zona da Mata Mineira e deságua no rio Paraíba do Sul, nas proximidades do município de Campos dos Goitacases, no Rio de Janeiro. Apresenta 250 km de extensão e tem como principais afluentes os rios Glória e Carangola. O rio Carangola, com 130 km de extensão, nasce no município de Orizânia, também na Zona da Mata Mineira e deságua no rio Muriaé, dentro da sede do município de Itaperuna.

No município de Itaperuna, destacam-se duas unidades de relevo: a primeira está ligada a antigas superfícies cristalinas e a segunda é constituída pelas planícies aluviais intermontanas.

O território municipal participou dos processos morfogenéticos que envolveram o sudeste brasileiro e, portanto, as superfícies cristalinas sofreram fases sucessivas de lavantamento e fraturamento, dando origem aos patamares cristalinos. Os processos erosivos comandados pela rede de drenagem local desgastaram gradativamente o terreno, originando vales encaixados nas linhas de falhas, morros rebaixados e arredondados e baixadas, ora largas, ora estreitas.

Nesse sistema morfogenético, o município de Itaperuna caracteriza-se por um relevo ondulado, com ausência de escarpas íngremes e vales em constante aprofundamento e alargamento, embora em áreas de pequeno declive.

Estátua do Cristo Redentor
Cristo Redentor de Itaperuna no morro do Castelo

Itaperuna possui a segunda maior estátua do Cristo Redentor do Brasil, com vinte metros de altura. Foi inaugurada em 1966, nos festejos do aniversário do município, pelo então prefeito Cláudio Cerqueira Bastos.

Clima em Itaperuna

Devido ao fato de se encontrar entre vales, Itaperuna é conhecida por ter o clima mais quente do estado do Rio de Janeiro. Tem a máxima de 43°C resgistrada pelo IBC Instituto Brasileiro de Climatologia. A cidade é a mais quente em relação às cidades mais próximas, como Natividade, Laje do Muriaé e Bom Jesus do Itabapoana.