Rio de Janeiro - RJ
Rio de Janeiro - RJ

Capital                        Rio de Janeiro - RJ                          
Area (Km²)   43 696,054
Números de Municípios 92
População estimada em 2010 15 993 583

 

 
Cantagalo 1 - RJ Cantagalo 2 - RJ Cantagalo 3 - RJ Cantagalo 4 - RJ

Cantagalo - RJ

Cantagalo - RJ                    Rio de Janeiro - RJ           
População 19 826
Cantagalo é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Sua população estimada em 2009 era de 20.540 habitantes, dividida nos distritos de Cantagalo (sede), Santa Rita da Floresta (2º Ditrito), Euclidelândia (3º Distrito), São Sebastião do Paraíba (4° distrito) e Boa Sorte (5° distrito).

História

Os primeiros habitantes do território de Cantagalo foram os índios Coroados e Goitacases, que desapareceram da região por volta de 1855. A colonização do local teve início em meados do século XVIII, em função da chamada “febre do ouro“, que atraiu aventureiros de todos os cantos, entre eles o português Manoel Henriques, conhecido como “Mão de Luva”. Ele deixou Minas Gerais acompanhado pelo seu bando em busca de vertentes dos córregos afluentes dos rios Macuco, Negro e Grande, com objetivo de conseguir riqueza fácil, através da garimpagem clandestina.

O bando de “Mão de Luva” localizou o lugar onde hoje se ergue a usina Cantagalo, dando origem à formação de um núcleo, que em 1794 já possuía cerca de 200 moradias, formando uma mistura de aventureiros efetivos do local.

Porém, a Coroa Portuguesa mantinha o monopólio de exploração dos garimpos. Por isso, por ordem de D. Luiz de Vasconcelos e Souza, Vice-Rei do Brasil, diversas diligências, foram efetuadas contra o grupo, o que culminou com a captura do renegado português e de seu bando.

A prisão dos aventureiros foi ocasionada por uma situação curiosa, que acabou por dar origem a atual denominação do Município. Depois de inúmeras batidas pelo mato, já bastantes cansados e desanimados, os agentes se preparavam para voltar, quando ouviram um galo cantar. Penetrando mais fundo na mata, encontraram, dormindo à sombra de uma árvore, um dos companheiros de “Mão de Luva”. Preso, mas diante da promessa de liberdade e dinheiro, ele denunciou seus companheiros, que foram capturados quase sem oferecer resistência. Manoel Henriques "O Mão de Luva" foi enviado, em degredo, para a África.

Verdade ou não, foi a partir de 1786 que a localidade passou a ser denominada de “Cantagalo”, em substituição ao seu antigo nome de “Sertões de Macacu”. Ainda motivados pela fama de possuir veios de ouro riquíssimos, outros aventureiros continuaram a chegar à localidade. Porém, apenas uma profunda decepção os esperava, pois constataram que os bandoleiros já haviam quase que esgotado completamente os pobres filões existentes na região. Porém, o crescimento de Cantagalo não foi interrompido pelo fim da febre do ouro. Se a terra era pobre em metais, por outro lado era extremamente fértil. Por isso sua região cobriu-se de imensas plantações de café, milho, feijão, cana-de-açúcar, mandioca, etc, transformando a localidade em uma das mais importantes da província. Tanto, que no seu período áureo, ela chegou a ser chamada de Celeiro da Terra Fluminense. Com o crescimento do setor agrícola, entra em cena a mão-de-obra escrava e o elemento negro, que representou papel importante na formação do patrimônio social e econômico da região.

Aspectos gerais

Localizado na microrregião Centro-Norte Fluminense e integrando a Região Serrana Fluminense e com sua topografia agraciada pela natureza e seu ar puro propicia um clima agradável, que vai do temperado ao frio, é cortada pela rodovia RJ-160. O município mantém o ar bucólico das pequenas cidades do interior, sua arquitetura, tradições culturais e religiosas.

Tem presença de um relevo fortemente ondulado ("mar-de-morros"), constituíndo as serras de Santa Rita da Floresta, Quilombo, da Batalha, Água Quente e Bela Vista.

Apresenta vegetação pobre, predominando os pastos, resultado do desmatamento das florestas de Mata Atlântica que outrora dominavam o espaço do município. Cantagalo faz, ainda, parte do sistema hidrográfico do Rio Paraíba do Sul com a presença do Rio Negro, do Ribeirão das Areias e do Córrego Itaoca.

Hoje tem na extração de calcários cristalinos a principal riqueza mineral, sendo explorados não só para a produção de cimento e cal, mas também como corretivo de solo.

Questões ambientais

Em 2008, um levantamento do IBGE aponta Cantagalo como o terceiro município em potencial poluidor da atmosfera no estado do Rio de Janeiro, com elevados índices de particulados finos (PM10), substâncias que causam danos à saúde respiratória e ao meio ambiente. São mais de 3,4 mil toneladas por ano de PM10 lançados no ar, além de outras cerca de 4 toneladas de dióxido de enxofre (SO2). IBGE/2007.

Resíduos Químicos Tóxicos Perigosos sendo Trazidos de SP (e de outras localidades) para Cantagalo - RJ

Digite "Aterro Mantovani" no You Tube e veja um vídeo sobre essa situação em Cantagalo - RJ.

Há forte preocupação quanto aos danos cumulativos à saúde da população e ao meio-ambiente de Cantagalo, Cordeiro e Macuco sobre os resíduos químicos tóxicos perigosos que tem sido diariamente trazidos (até de SP) desde o início da década de 90 para essa região. Representantes da Sociedade Civil Regional e diversos pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública - FIOCRUZ indagam há muito tempo sobre qual seria a composição química desses resíduos químicos tóxicos que são destinados aos fornos, infelizmente sem nenhuma resposta. Em 2009, foi realizada uma Audiência Pública Municipal, com ampla presença da população local sobre este problema.

Clima

O clima é Tropical de Altitude. Apresenta regime alternando de estação chuvosa com estação seca, com mais de 80% de precipitações no verão, enquanto que a temperatura, na média, oscila entre 19 °C a 26 °C é melhor visitar o Morro quando está no inverno para ter uma noção sobre o que os moradores passam.

Atrativos turísticos

O centro do município de Cantagalo é rico em construções históricas do ciclo do café no Vale do Paraíba. Exemplos são a Igreja Matriz, o prédio da Câmara Municipal (onde antes era um famoso hotel), a Rua Direita e alguns dos seus casarões remanescentes, o Templo Maçônico, a Casa de Caridade (Hospital Municipal), o Jardim Euclides da Cunha, a praça XV de Novembro (hoje denominada João XXIII), o Fórum.

Palacete do Gavião

O Palacete do Gavião, como era outrora conhecido, fica a 2 km da cidade. Foi a mais importante das muitas fazendas pertencentes a Clemente Pinto, o Barão de Nova Friburgo. O palácio por sua importância arquitetônica padroniza o apogeu cultural do ciclo do café na serra fluminense. Era a intenção do Barão fazer do local o Paço Municipal de Cantagalo, plano que não se concretizou. Está localizado no alto de uma colina, ladeado de palmeiras. É uma construção neoclássica, pintada rosa claro. Há uma planície que se estende diante do palacete por alguns quilômetros e no lado oposto, em direção a Cantagalo, até a Caixa de Despejo. Esta é uma remota recordação de Jean Nicolas, canalizador da água e esgotos da cidade, quando a febre amarela destruiu parte de sua população. A fachada frontal possui colunas de granito e soberba escadaria. Há ainda uma outra fileira de colunas remanescentes da lateral esquerda, com 12 m de altura. É uma construção térrea com porão alto. Diversas portas em folha dupla com caixilho de vidro, balaustres e molduras das portas e janelas em cantaria (pedra lavrada). O telhado em telha canal, escondido por platibanda. O palacete foi construído em torno de 1860, suas paredes ainda possuem vestígios de antiga pintura á óleo e na sala de jantar destacam-se os motivos de peixes, aves e frutas, trabalho artístico realizado por pintor trazido da corte especialmente para executar esse hábil trabalho. O projeto foi do arquiteto alemão Carl Friedch Gustavo Wehmelt que construiu não só o Palacete Gavião e o atual Palácio do Catete. Não é aberto a visitação, mas consta que possui parte do admirável mobiliário do período de sua construção. Cita-se cama de cedro com emblema imperial, onde D.Pedro II e a Imperatriz Tereza Cristina dormiram por ocasião da visita ao Palacete em 1883. Na capela, em intenção de Nossa Senhora da Conceição, pequeno quadro com autorização manuscrita de D.Pedro II, para ser rezada missa no local na ocasião da visita do casal imperial. Depois do almoço, o casal seguiu viagem utilizando o ramal férreo pertencente ao Barão em direção a São Fidélis. No travesseiro no qual repousa a cabeça do Imperador, em seu túmulo, foram colocadas terras do Palacete do Gavião. Foi um último desejo do Imperador atendido pelos descendentes do barão de Nova Friburgo. O palacete pode ser apreciado da RJ-160.

Cachoeira da Fazenda do Sossego

Horário: Permanente. Cachoeira com aproximadamente 4m de altura, rodeada por vegetação abundante. Queda de 3m. Acesso difícil. Localizado ao lado do Km 3 de Estrada Mauá-Votorantim.

Cachoeira da Fazenda Santa Bárbara

Horário: Permanente Acesso: A partir de Jacaré, dobra-se à direita na RJ-170 e à direita novamente na Rodovia Municipal CAN-008 onde a cachoeira está localizada. A cachoeira localiza-se entre montanhas recobertas de vegetação rasteira, ladeada por mata abundante e bambuzais. Formada pelo Córrego de Santa Bárbara, neste ponto apresenta uma piscina natural de 3m por 15m, de águas escuras e tépidas, muito utilizada para banhos. Suas águas continuam seu curso, registrando-se a seguir um grande desnível, que forma uma corredeira de aproximadamente 80m de extensão além de outra pequena piscina natural de 4m por 3m. Essa parte da corredeira se destaca pela sua beleza e pode ser avistada da estrada, não havendo porém condições de ser utilizada para banhos nem como escorregas.

Cachoeira Ronca-Pau

Horário: permanente A cachoeira está localizada em um vale parcialmente arborizado, apresentando no final das quedas uma área mais plana e ao fundo montanhas cobertas de vegetação rasteira. Formada pelas águas do Rio Negro, que após um percurso calmo e amplo pela planície passam por um afunilamento através de um canal natural de aproximadamente 2 m. de largura. Neste ponto projetam-se em uma grande área formando quedas dágua sucessivas por uma extensão total de 100 m., seguida de uma ampla piscina natural circundada por vegetação abundante, com aproximadamente 10 m. de diâmetro. Suas águas escuras e frias são propícias para banhos. Em época de chuvas, as águas se tornam barrentas e não são recomendadas para banhos. O acesso atual é pela estrada, cuja entrada se torna um mirante bastante aprazível.

Corredeira Sete Quedas

Horário: Permanente Trecho encachoeirado do Rio Negro. Volume dágua permitindo esportes como natação, boia-cross e canoagem. Rodeado de vegetação rasteira e, em alguns pontos, bambuzais. Apoio de pequeno bar, que nos fins de semana serve bebidas e petiscos. Pequena ponte sobre as corredeiras diante de 2 palmeiras imperiais e vista dos arredores.