Paraiba - PB
João Pessoa - PB

Capital João Pessoa - PB                             
Area (Km²)   56 439,838
Números de Municípios 223
População estimada em 2010      3 766 834

 

 
Belém 1 - PB Belém 2 - PB Belém 3 - PB Belém 4 - PB

Belém - PB

Belém - PB                                     Paraiba - PB                                  
População 17.083
Belém é um município brasileiro da região Nordeste,

localizado no estado da Paraíba. Pertence a Mesorregião do Agreste Paraibano e à Microrregião de Guarabira. Está distante 123 quilômetros de João Pessoa, a capital do estado e a 17 quilômetros de Guarabira. Sua fundação ocorreu em 6 de setembro de 1957.

Conhecida como a cidade da maior e melhor Festa de São Pedro da Paraíba, festejo popular realizado no final do mês de junho, Belém é um dos principais municípios do Agreste Paraibano devido seu comércio ativo e sua localização privilegiada, sendo uma das mais importantes rotas de ligação entre diversas microrregiões da Paraíba com o estado do Rio Grande do Norte.

Geografia

O município de Belém possui uma área territorial de 100 km², estando subdividido em cerca de 54 comunidades rurais, e um distrito (distrito de Rua Nova) e o distrito-sede.

Relevo

Localizado na Zona Fisiográfica do Piemonte da Borborema, o município de Belém apresenta um relevo caracterizado por uma superfície de pediplanação bastante monótona, relevo predominantemente suave-ondulado, cortada por vales estreitos, com vertentes dissecadas elaborada em rochas cristalinas.

As principais serras são: Suspiro, Genipapo, Lagoa da Serra, Angelim, Camucá e Baiano.

Clima

Pôr do sol em Belém. Ao fundo a Pedra do Cordeiro.
Macambira.
Rio Curimataú.
Lagoa do Umari.

O clima do município de Belém é do tipo tropical quente e úmido (As’) com chuvas concentradas de outono a inverno, influenciado por localizar-se numa área de transição entre o clima úmido do litoral e o semi-árido do sertão. De acordo com o levantamento cartográfico do estado da Paraíba, realizado pela Sudema, a temperatura média anual do município de Belém está em torno de 26 a 27 graus celsius, com pluviosidade média anual de 1000 a 1200 milímetros, e uma insolação média de 2600 a 2700 horas anuais.

Vegetação

Por estar na região geográfica da Depressão Sublitorânea a vegetação do município é do tipo acaatingado, classificada como Agreste e originalmente constituída por uma mata caducifólia de transição, com espécies xerófilas da caatinga e algumas espécies da mata úmida, e ainda, com cobertura de gramíneas rasteiras e espécies arbóreas primitivas como o juazeiro.

Hidrografia

O município de Belém está inserido em duas bacias hidrográficas, sendo uma de domínio federal, por ultrapassar as fronteiras do estado da Paraíba, e a outra de domínio estadual, devido à área estar completamente no território paraibano.

Segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA) o território belenense pertence às seguintes bacias:

A bacia hidrográfica do Rio Curimataú, pelas regiões norte/oeste do município. Em direção ao estado vizinho do Rio Grande do Norte. Tendo como principais riachos belenenses desaguando nessa bacia hidrográfica os riachos da Picada, Gameleira e do Meio;

E a bacia hidrográfica do Rio Mamanguape, pelas regiões sul/leste do município. Com os riachos desaguando inicialmente na micro-bacia do Rio do Pirpirituba. Esta grande bacia do Rio Mamanguape está incluída no conjunto de bacias hidrográficas do litoral norte paraibano.

Os principais reservatórios d'água são os açudes Tribofe, Picada, Saboeiro, Camucá do meio, Santo Antônio e Nica. E ainda algumas lagoas naturais, como a lagoa da Serra, do Umari e a lagoa do Curimataú.

Geologia

Belém pertence à unidade geomorfológica conhecida como Escarpa Oriental da Borborema, caracterizado por morros, serras que avançam da depressão formando os primeiros contrafortes orientais da Borborema, constituídas de rochas do Complexo Presidente Juscelino com embasamento cristalino, com intercalações gnáissicas datadas do Pré-Cambriano e restos do capeamento sedimentar do Grupo Barreiras.

Cultura

O município tem uma grande diversidade cultural, especialmente ligada as expressões da cultura popular. Com o passar dos anos, algumas delas foram sendo esquecidas, porém existe um movimento de pessoas ligadas à cultura popular belenense que estão tentando resgatar essas expressões culturais do município. São diversos folguedos, danças, expressões artísticas e festas populares como as quadrilhas juninas, o boi-de-reis, o pastoril, a ciranda, o artesanato, o carnaval, as festas religiosas do Natal e da Padroeira, a feira livre e o maior evento cultural da atualidade no município: a festa do São Pedro.

Folguedos e danças

A quadrilha junina, de origem europeia chegou ao Brasil e tornou-se popular na Região Nordeste. Geralmente são apresentadas nos meses de junho e julho. Todos os anos em Belém são promovidos concursos para eleger a melhor quadrilha junina do município, dentro do calendário da festa do São Pedro. As quadrilhas juninas belenenses se destacam pela alegria, pelas cores das roupas e pelos personagens folclóricos encenados. Contudo, a população também participa dessa dança folclórica improvisando-a nas ruas e nos sítios do município, dançando ao som do forró pé-de-serra e ao redor das tradicionais fogueiras de São João.

Boi-de-reis

O boi-de-reis, ou simplesmente, o boi de Luis Camilo, era famoso na região. O Luís Camilo foi o principal precursor deste folguedo a partir na década de 1950 no município de Belém. Apresentava-se em diversas cidades da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Faleceu em 17 de dezembro de 1996. Outro nome bastante conhecido no município e que também participava das apresentações do boi-de-reis é o Seu Donato.

Pastoril

O pastoril, também era um folguedo bastante popular e tradicional em Belém. Existiam vários grupos que se apresentavam na cidade e na zona rural. Através dos duelos entre as fitas azul e vermelha (encarnada), o grupo de pastoril tentava convencer o público ditando versos e canções para ao final da apresentação receber a recompensa em dinheiro. As pessoas pioneiras neste trabalho foram às senhoras: Joana Ferreira Teixeira, conhecida por Dona Nita da Catequese, Elisa de Quinca e Cecília Januário. Segundo relato do Sr. Osvany Sales de Assis, foi numa apresentação do pastoril que o então Governador Flávio Ribeiro Coutinho enamorou-se por uma mestra chamada Flávia, na época em que ele era estudante e passava férias no povoado de Belém na casa de um amigo, o doutor Clóvis Cruz.

Ciranda

A ciranda, classificada como dança de roda, era apresentada sempre nos finais de semana, e especialmente, nas festas da Padroeira. Embalado ao som do triângulo, da zabumba e do pífano, o povo belenense se divertia com o ritmo desses instrumentos musicais e com a alegria da dança circular. Os principais belenenses que dirigiram ou participaram das cirandas foram, entre outros, os senhores: Manoel Fidelis, morador do sítio Bom Retiro, e Felizardo, tocador de pífano.

Artesanato

O artesanato belenense caracteriza-se pela simplicidade dos objetos e pela criatividade dos artesãos. São artesanatos feitos de barro, de bambu, da casca do coco, do algodão e de outros elementos da natureza, transformados em utensílios domésticos como panelas, potes para armazenar água, imagens sacras e objetos de decoração.

O artesão belenense de maior destaque na região foi Henrique José Gonçalo, conhecido por Henrique Santeiro, devido sua habilidade em fazer imagens sacras de santos católicos através do gesso, do barro e talhados na madeira. Uma de suas obras mais famosa é a imagem do Cristo crucificado, onde ficou exposta vários anos na Igreja matriz da Sagrada Família em Belém. Seus trabalhos foram expostos ainda, em feiras de artesanato em João Pessoa e publicados na 3ª edição do Atlas Escolar da Paraíba pela editora grafset. O artesão Henrique Santeiro era deficiente físico e morava numa comunidade rural do município de Belém, denominada de Angelim. Faleceu em 23 de junho de 2001.

Carnaval

O carnaval em Belém remonta o período em que o mercado público do município, o Mercanclub, tornava-se o local das festas e da folia carnavalesca. Porém, com a construção do ginásio poliesportivo o “Xaviezão” em 1990, o Mercanclub foi extinto e as festas transferidas para este novo local.

Atualmente, o carnaval belenense caracteriza-se pelos blocos de rua. São diversos blocos que saem pelas ruas da cidade todos os anos no mês de fevereiro, juntando centenas de pessoas para brincarem o carnaval com as tradicionais serpentinas, máscaras, confetes e marchinhas carnavalescas.

Esportes

As principais atividades ou eventos esportivos praticados em Belém são o futebol de campo e de salão, este último também conhecido por futsal, a mini maratona, a capoeira, os esportes de aventuras, e recentemente o taekwondo, entre outros esportes. O município dispõe de dois ginásios poliesportivo, um no distrito de Rua Nova denominado de “O Amigão”, e outro na sede, chamado de “O Xaviezão”. E um estádio municipal em fase de construção.

Futebol

O futebol é a principal atividade esportiva dos belenenses. Os times de maior destaque por terem participado ou vencido campeonatos regionais de futebol amador são:

    Atlético Esporte Clube
    Belém Esporte Clube (extinto)
    Estrela Azul Futebol Clube
    Juventus Esporte Clube(extinto)
    União Esporte Clube

Mini maratona

A mini maratona de Belém é um evento esportivo realizado desde 2005, sempre no dia 6 de setembro, data da emancipação político-administrativa do município, com a participação de dezenas de atletas da região e até dos estados do Rio Grande do Norte e do Pernambuco. São 12 quilômetros de percurso entre os quilômetros 66 e 78 da rodovia PB-073 que atravessa o município. O principal destaque das últimas edições da mini maratona é a participação da atleta paraibana Ednalva Laureano da Silva, a “Pretinha”, vencedora de diversas maratonas a nível nacional e internacional.

Capoeira

A Capoeira, originalmente uma luta disfarçada como dança trazida ao Brasil pelos escravos africanos e difundida nos quilombos e senzalas na época colonial, é bastante difundida no município. Além do caráter esportivo, a prática da capoeira tornou-se uma ferramenta importante na educação de parte da população infanto-juvenil belenense.

Esportes de aventura

Os esportes de aventura é uma prática recente e que vem crescendo em Belém, especialmente por equipes de esportistas da região do brejo paraibano. Devido grande parte do relevo do município ser constituído por serras e formações rochosas como a Pedra do Cordeiro, e grandes lajedos em comunidades rurais como os de Lagoa da Serra e Gameleira, os aventureiros buscam estes locais para a pratica do rapel, trilhas, arvorismo, entre outros esportes radicais comuns a estas características ambientais.

Taekwondo

O Taekwondo é outro esporte que vem ganhando espaço e se profissionalizando no município através da Escola Belenense de Taekwondo, filiada a Liga Paraibana. Originário da Corea este esporte em Belém é praticado especialmente por adolescentes e jovens.

Turismo

Calendário turístico

    24 e 25 de junho - São João do Tribofe
    26 a 29 de junho - Festa do São Pedro de Belém (Paraíba)
    6 de setembro - Mini maratona
    8 de dezembro - Festa da Padroeira