Paraiba - PB
João Pessoa - PB

Capital João Pessoa - PB                             
Area (Km²)   56 439,838
Números de Municípios 223
População estimada em 2010      3 766 834

 

 
Caaporã 1 - PB Caaporã 2 - PB Caaporã 3 - PB Caaporã 4 - PB

Caaporã - PB

Caaporã - PB                                 Paraiba - PB                                  
População  
Caaporã, município no estado da Paraíba (Brasil),

localizado na microrregião do Litoral Sul. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2009 sua população era estimada em 20.064 habitantes. Área territorial de 150 km².

História

Definitivamente, o atual município de Caaporã foi conhecido como "Boca do Mato", denominação essa, originária de linguagem indígena, "Caa-Doca e Porã-Mato". Sabe-se, que Boca da Mata pertencia ao Sr. José de Sá e ao Coronel Monteiro. Por volta de 1843, o local fazia parte de uma vereda por onde passavam viajantes procedentes de Goiana com destino às praias de Pitimbu e Acaú. Situava-se na região da Fazenda "Tabú", de propriedade da família Lundgren, do Rio Tinto. Com o passar dos anos foram sendo construídas casas à margem da vereda, razão porque Caaporã é hoje uma cidade longitudinal, leste a costa, com aproximadamente 3 quilômetros de extensão. Evolução Histórica – Fundação do povoado

Em 1800, "Boca da Mata" pertencia ao Coronel Monteiro, e o Engenho Tabú para Sr. João de Sá. O local fazia parte de um vereda, por onde passava viajantes, procedentes de goiana, com destino às praias de Pitimbu e Acaú.

Em 1917 a 1918, os referidos donos venderam sua propriedades ao Sr. Coronel Alberto Lundgren, que posteriormente fixou residência na fazenda Tabú, que já habitada por escravos, foi se desenvolvendo surgindo casas às margens da vereda, razão porque Caaporã é hoje uma cidade com grande extensão. Seus primeiros alicerces surgiram as margens de uma vereda que posteriormente veio a ser Vila. Origem do nome

Caaporã – Palavra de origem indígena formada da junção dos nomes "Caa e Porã" Mata. Por isso nossa cidade era conhecida como Boca da Mata.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Caaporã, pelo decreto-lei estadual nº 520, de 31-12-1943,subordinado com parte da Área do distrito de Pedras de Fogo, subordinado ao município de Maguari.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o distrito de Caaporã, figura no município de Maguari.

Pela lei estadual nº 136, de 30-09-1948, o município de Maguari passou a denominar-se Cruz do Espírito Santo.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito de Caapora, figura no município dea Cruz e do Espírito Santo.

Pela lei estadual nº 895, de 11-03-1953, o distrito de Caaporã, passou a fazer parte do novo município de Pedras de Fogo.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o distrito de Caapora, figura no município de Pedras Fogo.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.

Elevado à categoria de município com a denominação de Caaporã, pela lei estadual nº 3130, de 27-12-1963, desmembrada de Pedras de Fogo. Sede no antigo distrito de Caapora. Constituído do distrito sede. Instalado em 02-02-1964.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2003.

Pela lei nº , de é criado o distrito de Cupissura e anexado ao município de Caaporã.

Em divisão territorial datada de 2005, o município é constituído de 2 distritos: Caaporã e Cupissura.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Geografia

O município de Caaporã encontra-se inserido na unidade geoambiental dos Tabuleiros Costeiros. O clima é Tropical Chuvoso com verão seco. O período chuvoso começa em fevereiro e términa em outubro. A precipitação média anual é de 1.634 mm. A vegetação predominante é a Floresta Subperenifólia, com partes de Floresta Subcaducifólia e transição Cerrado/ Floresta.

Caaporã está inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Abiaí. Seus principais cursos d'água são os rios Papocas, Camocim, Pitanga, Dois Rios, do Galo e Goiana, e os riachos: Taberubus, Cupissura, Tamandu á e Farias, todos de regime de escoamento perene.

Economia

A cana-de-açúcar ocupa a maior parte do solo do município, embora mereça destaque a plantação de coco, lavoura de subsistência e inhame. A renda familiar é relativamente baixa, já que a maior parte da população recebe o salário mínimo. Os desempregados, em número significativo, têm renda incerta e, muitas vezes, inferior ao salário mínimo, já que se empregam na cultura cíclica (cana-de-açúcar) e sobrevivem da atividade pesqueira. A maioria da população reside em casas de um ou dois quartos, construídas a maioria hoje em alvenaria. A ocupação média de cada residência é de quatro pessoas. A população recebe assistência médica de vários PSFs(Posto de Saúde Familiar), onde lá é disposto a população vários serviços clínicos e assistência hospitalar, e a maternidade local, porém muitas pessoas se dirigem a João Pessoa a cerca de 45km de Caaporã(dependendo do local em João Pessoa pois o centro fica a 60km do centro de Caaporã) para obter serviços mais específicos ou de acidentes mais graves. O comércio interno está em constante crescimento e as portas do desenvolvimento estão abertas, pois além da intensa mineração na unidade produtora de cimento as obras para o novo distrito industrial de Caaporã está a todo vapor. Acham-se instaladas também no munícipio a Agro Industrial Tabu S/A (Destilaria)e a Cimento campeão do grupo Lafarge S/A.