Vitória - ES
Vitória - ES

Capital Vitória - ES                               
Area (Km²)   46 077,519
Números de Municípios 78
População estimada em 2010 3 512 672

 

 
Castelo 1 - ES Castelo 2 - ES Castelo 3 - ES Castelo 4 - ES

Castelo - ES

Castelo - ES            Espirito Santo - ES
População 34 826
Castelo é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Localiza-se a uma latitude 20º36'13" sul e a uma longitude 41º11'05" oeste, estando a uma altitude de 100 metros. Segundo o IBGE a população em 2010 é de 34.826 habitantes.

Localizada ao sul, uma das mais belas cidades do Espírito Santo, é também uma das mais progressistas do estado. Possui um ótimo padrão de vida, sendo sua população predominantemente descendente de italianos. Seu índice de desenvolvimento humano (IDH) é 0,762 (médio alto), estando na 16ª posição entre os 78 municípios do estado.

O município tem seu relevo bastante acidentado, com temperatura média de 22°C.

História

Castelo foi inicialmente, como a maioria do territorio brasileiro, povoado por índios, estes, da etni Botocudos e Puris que habitavam as montanhas e vales da região.

Os registros iniciais da colonização, no início do século XVIII, surge das viagens às minas gerais e da procura de ouro pelos mineradores em busca deste metal nobre. Porém a vida dos destemidos desbravadores não era nada fácil, devido aos embates com os nativos que viam suas terras serem invadidas por estranhos.

A colonização se originou especificamente na Serra do Castelo, que mais tarde daria nome à cidade, assim chamada devido a formação dos montes e vales que lembravam os castelos medievais europeus. Neste local foram encontrado os primeiros vestígios do mineral, sendo pioneiro nesta atividade extrativista o minerador Pedro Bueno Cacunda, que viria posteriormente a fundar o Arraial de Santana. Os conflitos entre os índios e mineradores não findariam por ai. Após 1770 a crise entre os nativos e os invasores se acirraram de tal maneira que os primeiros se refugiaram na gruta do Limoreiro e logo ofereceram resistência aos desbravadores, expulsando-os para as regiões vizinhas em direção à Vila de Itapemirim, acompanhando o curso do rio Caxixe, aproximadamente nas imediações da Fazenda do Centro, que viria a receber esse nome posteriormente.

Por volta de 1845 os primeiros fazendeiros da região, iniciando a exploração agrícola nas margens do rio Castelo e do Caxixe, já utilizando nesse período a mão de obra escrava, impulsionaram sobremaneira o desenvolvimento da localidade.

A partir de então, a Fazenda do Centro passou de arraial de mineração à qualidade de povoado servido de capela, senzala, engenho, paióis de café. Ressalte-se que essa propriedade foi posteiormente palco daquela que seria a primeira reforma agrária no Brasil com a aquisição da Fazenda pelos padres agostinianos que, tempos depois, a repassariam, em pequenas propriedades, a imigrigantes italianos.A fazenda do Centro encontra-se exposta à visitações onde podemos ver e estar em um grande ícone do passado, história, "escravatura".

O distrito de Castelo foi criado em 31 de julho de 1881, pertencendo assim ao município de Cachoeiro de Itapemirim, vindo a conseguir sua autonomia administrativa em 25 de dezembro de 1928.

Geografia

Coberto pelo relevo de rochas cristalinas, com terreno acidentado pelas derivações da Serra da Mantiqueira, a cidade exibe diversas belezas natuarais: Forno Grande, Serra da Povoação, da Estrela do Norte, da Prata, do Pontão e Sete Voltas.O ponto culminante é o Pico do Forno Grande, um afloramento rochoso com cerca de 2,080 mts de altitude situado no Parque Estadual do Forno Grande. Do cume avista-se o Pico da Bandeira de um lado e o mar e as cidades litorâneas do outro.

No município há também o Parque Estadual de Mata das Flores, com remanescentes da Mata Atlântica. Assim como o Parque Estadual do Forno Grande, também é administrado pelo IDAF.

Hidrografia

Os rios que cortam a cidade são o Caxixe e o Castelo que têm suas nascentes no alto das montanhas, dirigindo-se para as imediacões da cidade. No passado tinham seus leitos límpidos e navegaveis, mas devido a atual degradacão já não possuem as mesmas qualidades.

Economia

O município é o segundo pólo econômico do sul do Estado, tendo um comércio diversificado, e indústrias de confecções, tinta minerio e minerais. É produtor de pedras ornamentais. Possui uma faculdade que mantém vários cursos de graduação.

Turismo

É propício para a prática de esportes radicais como vôo livre, montanhismo, etc., possuindo vários pontos ideais para campeonatos de paraglider.

Sede de importantes campeonatos de voo livre, a nível nacional e mundial.

Em termos de turismo, destaca-se a festa de Corpus Christi, quando as ruas da cidade são enfeitadas com imensos tapetes coloridos, feitos com pedras, palhas de cereais, materiais reciclados (DVDs, tampinhas de garrafas,caixas de fósforos) e outros materiais. Os tapetes possuem num total de quase 3,5 km de extensão, atraindo gente de todo o Brasil.

O santuário da Nossa Senhora Rosa Mística ou Santuário de Aracuí (Santuário Imaculada Esposa do Espírito Santo), também um ponto religioso e com um forte apelo ao turismo, todo em granito, rocha mineral existente em abundância neste município capixaba.