Vitória - ES
Vitória - ES

Capital Vitória - ES                               
Area (Km²)   46 077,519
Números de Municípios 78
População estimada em 2010 3 512 672

 

 
Domingos Martins 1 - ES Domingos Martins 2 - ES Domingos Martins 3 - ES Domingos Martins 4 - ES

Domingos Martins - ES

Domingos Martins - ES Espirito Santo - ES         
População 31 824
Domingos Martins é um município brasileiro do estado de Espírito Santo. A sede do município é também conhecida como Campinho e está situada a aproximadamente 42 km de Vitória, cujo acesso principal se dá pela rodovia BR 262.

Está situado na região montanhosa do Espírito Santo. Promovida como "Cidade do Verde", por contar com bastante mata atlântica.

O município possui muitos rios e picos. A Sede tem altitude de 542 m, mas no município há picos acima de 1.800 metros. Possui clima ameno, frio para padrões brasileiros. O município foi fortemente colonizado por alemães, pomeranos e italianos. É predominantemente dependente da agricultura e turismo.

O município é dividido em 6 distritos: Sede, Melgaço, Paraju, Aracê, Santa Isabel e Biriricas, este último demarcado recentemente. Como atrativo turístico, destaca-se a Pedra Azul, que é um grande afloramento de gnaisse com 1.822 metros e apresenta uma coloração azulada dependendo da incidência de luz solar. A região é muito visitada por pessoas da capital do estado Vitória e seus arredores por ser localizada muito próxima a capital.

História

O município de Domingos Martins foi colonizado por alemães, pomeranos e italianos, que a partir de meados do século XIX deixaram a Europa para começar uma vida nova no Brasil.

Os primeiros a chegar foram os alemães, em 1847, quando fundaram em Santa Isabel, neste município, a primeira colônia alemã no Espírito Santo. O grupo era formado por 39 famílias, sendo 23 católicas e 16 luteranas, vindas da região montanhosa do Hunsrück (Costa do Cachorro), na Prússia Renana, das cidades de Koblenz, Lötzbeuren e Traben-Trarbach, em número de 163 pessoas.

Em 1859, somaram-se aos primeiros colonos outros alemães, provenientes da região do Hesse do Reno. Entre 1857 e 1873, ocorreu o fluxo de pomeranos para a região de Santa Leopoldina e Melgaço.

Os pomeranos vieram da região que ficava situada entre o norte da Alemanha Ocidental e a Polônia. Ela fazia parte da Alemanha desde 1200. Durante o feudalismo estava vinculada ao Império Prussiano, mas, a partir de 1945, dois terços da Pomerânia foram anexados à Polônia e a outra parte ficou na Alemanha.

Embora haja registros sobre a chegada de pomeranos ao Espírito Santo entre 1829 e 1833, para participarem da construção e limpeza da estrada projetada Vitória (ES) – Ouro Preto (MG), eles não fundaram colônias nem se estabeleceram de imediato no Estado. Muitos nem permaneceram na região.

O fluxo de pomeranos para as regiões de Santa Leopoldina e Melgaço se deu mais tarde, entre 1857 e 1873, num total aproximado de 2.143 pessoas. Os pomeranos que hoje se encontram em Domingos Martins se concentram mais em Melgaço (na Sede e na localidade de Califórnia) e em Paraju (na Sede e nas localidades de Tijuco Preto e Rio Ponte). Eles vieram da província pomerana das regiões de Koslin, Kolberg, Greifswald e outras. Chegaram à colônia de Santa Isabel subindo o rio Santa Maria da Vitória até a cachoeira de Santa Leopoldina.

A partir de 1859, vieram, também, os primeiros italianos para a colônia de Santa Isabel. Nessa época havia em Santa Isabel, 27 italianos, mas o maior fluxo de italianos para a região começou em 1875. A ocupação italiana concentrou-se no distrito de Aracê. No início do século vinte (por volta de 1900) apareceram na região os primeiros imigrantes italianos. A sua chegada ocorreu por caminhos até então desconhecidos pelos alemães e que foram desbravados a partir de outras direções. Uma primeira leva chegou pelo lado de São Floriano, subindo de Alfredo Chaves pela região de São Bento de Urânia. Eles chegaram até o alto de Pedreiras e começaram a atrair outras famílias que foram adquirindo a posse dos alemães que voltavam para a região de São Rafael. Uma outra leva chegou por trás da Pedra Azul, passando por Castelinho em direção a São Paulinho.

A colônia progrediu gradativamente e logo emancipou-se de Viana. Foi elevada à condição de Freguesia em 1869 e Distrito Policial em 1878. No dia 20 de outubro de 1893 o município de Santa Isabel desmembrou-se de Viana por meio do Decreto Estadual Nº 29.

Pela Lei Estadual nº 1307, de 30 de dezembro de 1921, o município de Santa Isabel passou a denominar-se Domingos Martins, em homenagem ao herói capixaba Domingos José Martins, que nasceu em 9 de maio de 1781 no município de Itapemirim e participou como líder da Revolução Pernambucana, tendo sido fuzilado em 12 de junho de 1817 na Bahia.

Clima

O clima da cidade é o tropical com estação seca, da variação Aw, com ocorrência de precipitações principalmente nos meses de outubro a janeiro, porém a estação seca possui precipitação razoável. A temperatura média anual é de 23,5 °C na sede do município.

Domingos Martins foi eleita a cidade com o terceiro melhor clima do mundo, o que favorceu também para que em junho de 2008 fosse eleita a cidade mais romântica do Brasil.

Vegetação
Busto de Domingos Martins.

O que restou da Mata Atlântica e as capoeiras (mato alto que cresce após o abandono de uma área desmatada) cobrem, hoje, cerca de 20% do território da cidade. O restante é formado. principalmente. por plantações de café, culturas temporárias (milho, feijão, morango, etc.) e pelo plantio de pinheiros e eucaliptos.

As áreas de vegetação cobrem principalmente os pontos mais altos. Na cidade fica localizado o Parque Estadual da Pedra Azul, que cobre 1240 hectares e é a principal área de preservação ambiental da cidade (criado em 1960). A reserva particular de Roberto Anselmo Kautsky, orquidófilo e bromeliófilo de renome internacional, destaca-se por abrigar uma coleção que reúne mais de 1300 espécies de orquídeas e bromélias. Fica junto à sede do Município (Campinho).

Economia
Rua João Baptista Wernersbach.

A agricultura é a base da economia, destacando-se o fato do grande cultivo de frutas que somente se adaptam a climas temperados, o destaque é o morango, mas também há o cultivo da uva, e da maçã. além da forte presença do café (da variação arábica, adaptada a climas mais frios) e das hortaliças.

Economicamente, o turismo é muito importante, assim como a agricultura. A capital também abriga a sede da fábrica "Refrigerantes Coroa", e algumas produções caseiras de biscoitos típicos (da tradição alemã), além do turismo, a cidade atrai muitos turistas graças ao clima frio, as cachoeiras, o rafting, trilhas, rapel, além da tranqüilidade e da natureza, a cidade também é uma grande produtora de água mineral.

Reside aqui Roberto Kautsky, conhecido como grande colecionador de orquídeas. Ele descreveu várias novas espécies encontradas na região.