Salvador - BA

Salvador - BA

Capital         Salvador - BA 
Área (km²) 567 295,669                                
Número de municípios 417
População estimada  em 2010   14 016 906

 

 
Barreiras 1 - BA Barreiras 2 - BA Barreiras 3 - BA Barreiras 4 - BA

Barreiras - BA

Barreiras - BA Bahia - BA      
População 137 428
Barreiras é um município brasileiro do estado da Bahia. Sendo o décimo segundo mais populoso deste Estado, com uma população de 137 428 habitantes, possuindo uma área de 7 895,241 km². A cidade é cortada pelo Rio Grande, principal afluente da margem esquerda do Rio São Francisco e é atravessada por 3 rodovias federais, situando-se na região oeste do estado.

A cidade é um importante pólo agropecuário e o principal centro urbano, político, educacional, tecnológico, econômico, turistico, político e cultural da região oeste da Bahia. Maior centro populacional e importante entroncamento comercial dessa região.

Barreiras junto as suas cidades circunvizinhas compõe a maior região agrícola do nordeste, além da agricultura irrigada familiar presente no municipio, com destaque para a produção de frutas. Além dessas potencialidades, pode-se perceber também intensa atividade comercial abastecendo toda região num raio de 300 km. Hoje, por força de seu grande desempenho nos setores do comércio e da prestação de serviços, Barreiras ocupa a posição entre os maiores centros econômicos e populacional do estado e o principal da região nacionalmente conhecida pela força de seu agronegócio,Cidade e região que hoje desponta como uma das mais promissoras do estado e do país.

A presença do homem em Barreiras remonta à pré-história. Sítios arqueológicos, com material significante para o estudo da presença do homem, na região foram encontrados.Hoje, urnas funerárias com esqueletos, armas e objetos de pedra lascada e polida fazem parte do acervo em exposição no Museu Municipal. As pinturas rupestres deixadas nas paredes das grutas são outros vestígios legados por esses habitantes. São achados importantes, que deram início à pesquisa arqueológica na região.

A história das primeiras comunidades presentes no oeste da Bahia remonta à história do início da colonização do Brasil. O gado foi um fator importante para a penetração das primeiras populações naquelas regiões ainda inóspitas. Os grandes rebanhos iam avançando às terras inexploradas, banhadas por pequenos rios de águas claras.Com as conquistas de novas áreas para pastagem, os índios locais eram combatidos e, em muitos casos, havia um trabalho de catequização. Em certo momento, os desbravadores atingiram o entroncamento dos rios São Francisco e Grande, onde uma nova comunidade se assentou. Naquele local, atualmente encontra-se a cidade de Barra. A região viveu, durante muito tempo, na dependência econômica dos rios São Francisco, Grande e Preto, que também foram fundamentais para o povoamento. O rei de Portugal, no final do século XVII, ordenou que novos povoados fossem fundados nas bacias daqueles rios. A ordem foi apenas um complemento para um movimento que já estava se consolidando. Com o bom avanço comercial, barqueiros e aventureiros subiam o Rio Grande e exploravam áreas desabitadas, culminando na formação de novas comunidades. Com o aumento das navegações no Rio Grande dois pontos distintos surgiram. O primeiro tinha característica de desembarque de mercadorias, que eram deslocadas para Goiás e Piauí. O outro ponto localizava-se na parte inversa do rio e tinha função de escoar a produção local até as regiões exploradoras de ouro de Minas Gerais. Foi nesse local que uma comunidade começou a surgir e levou o nome de São João de Barreiras.

Agropecuária
Com grande vocação para a agropecuária, Barreiras, acabou destacando-se como maior produtor de café e segundo maior produtor de soja, milho e algodão do Oeste do Estado. Os Principais produtos agrícolas do município constam da produção de grãos – soja e milho, café irrigado, algodão e da pecuária a exploração bovina. Na safra 2005/2006 o Oeste do Estado explorou e produziuo correspondente a 870 mil hectares e 1.983,6 mil toneladas.

Soja - representa a cultura mais explorada em Barreiras e no Oeste, seguida do milho, do arroz e recentemente do café e algodão. A cultura da soja na região, que tem em Barreiras seu segundo município mais produtor (IBGE - safra 2004, participando com 23% do total da produção regional).

Algodão - O algodão retorna a região Oeste em 1995, como o segunto maior produto da região, com o cultivo de uma área de 2,4 mil hectares, e após apenas 12 anos alcança 276,4 mil hectares e uma produção da ordem de 1007,3 toneladas de algodão em pluma, ambos na safra 2005/2006.

Milho - terceiro produto da região tem o município de Barreiras também como segundo maior produtor (IBGE - safra 2004, com participação de 27% do total). O Oeste da Bahia cultivou e produziu, na safra 2006/2007, o correspondente a 166 mil hectares e 1.205,2 toneladas de milho,respectivamente. bastante oscilante, com área cultivada de 30 mil hectares e produção de 68,4 toneladas, respectivamente, na safra 2004/2005.

Café - produzido na região Oeste é uma cultura altamente tecnificada, com elevados índices de produtividades, alcançando 60 sacos/hectare, que representa mais que o triplo da média brasileira que se situa entre 15 a 20 sacos/hectare. O Oeste conta com área total 11 mil hectares cultivada com o café em produção, resultando no volume de 28.434 toneladas (safra 2006/2007), e Barreiras como o município maior produtor (safra 2004).

Feijão - A cultura do feijão ocupa apenas 0,22% da área produtiva regional, com 3,5 mil hectares cultivados e uma produção de 10,8 mil toneladas, na safra 2005/2006.

Pecuária - Atividade mais tradicional, a pecuária em sua forma extensiva, vem ocupando por muito tempo, boa parte das terras do município. Com cerca de 1,7 milhão de cabeças, o rebanho bovino predomina, seguido pelo de caprino e ovino, com 450 mil cabeças.Sua pecuária bovina é forte,e conta com um moderno matadouro-frigorífico, com planta industrial de última geração, inclusive com inspeção federal (SIF), apto para exportação de seus produtos. Na pecuária a região conta com um rebanho bovino da ordem de 1,7 milhão de cabeças, seguido pelo de caprino e ovino, com 450 mil cabeças. Inicia o município um novo ciclo produtivo – o industrial e agroindustrial, ressaltando-se as agroindústrias do complexo soja – grãos óleo e farelo (há mais tempo instaladas por multinacionais), as beneficiadoras de arroz, o recente funcionamento do matadouro-frigorífico Fribarreiras, com inspeção sanitária federal, apto para exportações e a ampliação do matadouro frigorífico de aves, Frango de Ouro, inclusive com a implantação do sistema de integração do produtor.