Manaus - AM
Manaus - AM

Capital   Manaus - AM
Área (km²) 1.570.745,680                                                            
Número de municípios                                         62
População estimada em 2010                             3.480.937

 

 
 
Benjamin Constant 1 - AM Benjamin Constant 2 - AM Benjamin Constant 3 - AM Benjamin Constant 4 - AM

Benjamin Constant - AM

Benjamin Constant - AM Amazonas - AM           
População 33 391

Benjamin Constant é um município brasileiro do estado do Amazonas. Localiza-se na microrregião do Alto Solimões, mesorregião do Sudoeste Amazonense. Sua população é de 33 391 habitantes, de acordo com dados do IBGE em 2010.

O nome do município foi dado - por sugestão do general Cândido Mariano Rondon, quando chefiava a Comissão Mista de Letícia - em homenagem ao general Benjamin Constant Botelho de Magalhães, o incentivador do movimento de 15 de novembro de 1889, que proclamou a República.

Localiza-se no Sudoeste Amazonense, distante de Manaus 1.118 km.

Tropical chuvoso e úmido, com temperatura máxima de 40º e mínima de 15º. Fica a 65m acima do nível do mar.

Limita-se com os municípios de Tabatinga, São Paulo de Olivença, Ipixuna, Eirunepé, Jutaí, Atalaia do Norte e com a República do Peru.

Festa da padroeira, Nossa Senhora da Conceição, em 8 de dezembro;
Festival folclórico, no mês de junho.

O povoamento do município de Benjamim Constant deve ter-se iniciado nas primeiras décadas do Século XVIII. Por volta de 1750 já existia nas proximidades da foz do Javari, no Solimões, a aldeia do Javari, onde viviam os índios Ticunas, fundadas pelos jesuítas. Nessa aldeia, seria instalada a Sede da Capitania, segundo a Carta Régia de 18 de Julho de 1755 do governo português, dirigida ao governador do Grão-Pará, Mendonça Furtado. Este, todavia, por motivos expostos à Metrópole e por ela aceitos, resolveu sediar a capitania na Aldeia de Mariuá, no rio Negro. Em São José do Javari eram sediados então um destacamento militar e um posto fiscal (registro). O local, entretanto, não oferecia as condições necessárias ao fim a que estava servindo.
Tabatinga, lugar próximo de São José do Javari, à margem esquerda do Solimões, numa pequena elevação de terra, oferecia excelentes condições para os dois fins, isto é, posto militar e fiscal. O local foi então em 1766 ocupado pelo Sargento-Mor Domingos (ou Francisco) Franco, que aí fundou no mesmo ano a povoação de São Francisco Xavier de Tabatinga. Construiu-se então um forte para onde foi transferido o destacamento militar de São José do Javari. Tabatinga era, então, como ainda o é, ponto avançado nas fronteiras do Brasil com o Peru.
Em 1780 – 81, Tabatinga hospedou Dom Francisco Requena e sua pomposa comitiva, que vinha representando a Espanha na demarcação das fronteiras brasileiras com as colônias espanholas. Veio ao encontro de Requena em Tabatinga o Tenente-Coronel Teodósio Constantino Chermont, substituto legal do chefe da Comissão Portuguesa – General Pereira Caldas.
Em 1854, já não existia a antiga aldeia de São José do Javari; era apenas uma tapera.