Manaus - AM
Manaus - AM

Capital   Manaus - AM
Área (km²) 1.570.745,680                                                            
Número de municípios                                         62
População estimada em 2010                             3.480.937

 

 
 
Codajás 1 - AM Codajás 2 - AM Codajás 3 - AM Codajás 4 - AM

Codajás - AM

Codajás - AM   Amazonas - AM
População 23 119
Codajás é um município brasileiro do estado do Amazonas conhecido como "Terra do Açaí. Faz parte da mesorregião do Centro Amazonense e da microrregião de Coari.

Situada a margem esquerda do rio Solimões, (Amazonas), em terreno plano e de pouca elevação, está plantada a antiga povoação, hoje cidade de Codajás. Primitivamente era aldeia de Cudaiá, de índios do mesmo nome, mais tarde tornou-se pousada dos índios Muras ou Môras, que ainda em meados do século XVIII ocupavam as margens e os lagos do rio Amazonas e Madeira. Hoje se tornou um dos maiores produtores de açaí da Região Norte, fonte visível da economia do município e que junto com o pescado já são considerados economicamente os maiores produtos de exportação da região e que sustentam muitas famílias que vivem destas culturas.

Nas imediações da localidade há numerosos lagos, bastantes pisci­cosos, entre eles o lago de Cudaiá, (Miuá) onde em 1864 aportou o cidadão procedente de “Thuryassú”, no Maranhão, José Manoel da Rocha Thury, trazendo consigo várias famílias e lançando os fundamentos de Codajás, que muito contribuiu para o crescimento do lugar, implantando uma fazenda de gado que se tornou próspera. Nesse tempo, a localidade recebeu o nome de Barreiras de Cudajáz. Em 26 de Julho de 1865, o deputado Padre Bernardo Ivo de Nazaré Ferreira apresentou um projeto de lei à Assembléia Provincial e em 30 de junho de 1868 através da lei nº 175 passou a se chamar “Fraguezia de Nossa Senhora das Graças de Cudajáz”. Recebeu como de costume na época, a aprovação canônica em 26 de outubro de 1870.

Instalada em 26 de Outubro de 1870, pelo Padre João Monteiro Cunha, sob a Inovação de Nossa Senhora das Graças de Cudajáz, a freguesia foi elevada à vila através da Lei nº 287, de 1º de maio de 1874, projeto apresentado à Assembléia Provincial em 5 de maio de 1873, pelo deputado Nicolau José de Castro. A Vila de Cudajáz foi instalada junto com a Câmara, em 5 de agosto de 1875, pelo Camarista de Manaus, José Justiniano Braule Pinto, secretariado pelo Major Alvaro Botelho da Cunha, conforme instrução expedida pelo presidente da Província.

Em 1878 foi apresentado à Assembléia Provincial um projeto que motivou dis­cussão em torno do cacófato existente na palavra Cudajáz, mudando o nome da Vila Cudajáz para Vila Solimões administrada pela Intendência Municipal criada por um decreto de 22 fevereiro de 1890. O uso da nomenclatura ao longo do tempo encarregou-se de consagrar a corruptela Co­dajás, palavra brasileira pura que vem de curucu­daiá, da língua cu­daiá.

A criação do termo judiciário de Codajás deve-se ao Decreto nº 95 -A de 10 de abril de 1891, que anexou a vila à Comarca de Coari.

Já em 1911, pela lei nº 862 de 27 de setembro, recebeu o termo de “Comarca de Codajás”.

A citação de Codajás como município foi confirmada pela Lei nº 33, de 4 de novembro de 1892, que organi­zou os municípios do Estado do Ama­zonas.

Com a extinção da Comarca de Coari (Lei nº 741, de 30 de outubro de 1913), Codajás passou a ser Termo de Comarca de Manacapuru. Com posterior suspensão da Comarca de Manacapuru (Lei nº 1126, de 25 de novembro de 1921), Codajás voltou à condição anterior de Termo da Comarca de Coari.

Várias leis e decretos definiram, anos e anos, o destino de Codajás, manten­do-o vinculado a uma outra comarca. Somente em 16 de agosto de 1937 pela Lei nº 103 ou Lei nº 203 de 15 de setembro de 1937, (há divergência de lei), foi novamente esta­belecida a Comarca de Codajás, reinstalada pelo Juiz de Direito, Dr. Arnoldo Carpinteiro Peres. A sede municipal foi elevada à cate­goria de cidade pelo Decreto lei da União, nº 68 de 31 de março de 1938 ou Decreto lei da União, nº 311 de 2 de março de 1938. (há divergência de lei).

Codajás é um dos municípios mais antigos do Amazonas. Em 30 de junho de 1862, pela lei provincial nº 175, é criada a freguesia de Nossa Senhora das Graças de Codajás, mais tarde em 1 de maio de 1874, através da lei provincial nº 287, dá-se a elevação a vila, sendo o município instalado em 5 de agosto de 1975.

A vegetação da região do Município de Codajás é composta de florestas ombrofila densa aluvial com dossel uniforme, floresta ombrofila densa aluvial com dossel emergente, floresta ombrofila densa de terras baixas com dossel emergente, campinarana ombrofila arborizada com palmeiras, campinarana ombrofila arborizada, campinarana ombrofila florestada, floresta ombrofila aberta de terras baixas com palmeiras e floresta ombrofila densa aluvial.

Não existem ocorrências de reservas de seixo aluvionar e nem significativa reserva petrolífera, apenas em 12 de novembro de 1963, a PETROBRAS, localizou no km-8, na antiga estrada atrás da cidade uma bacia de petróleo de baixa qualidade e, portanto insignificativamente lucrativa, se tornando inviável sua exploração. No entanto contamos com grande quantidade de areia para construção civil e formação rochosa, já identificada no km-28, ao norte da cidade, confirmada pelo geólogo Nathan da Silva Bastos Sobrinho com testemunho dos mateiros: Samuel Braga, O Betinho, Elizeu Braga, o Sr. Bete e outros...que inclusive efetivaram grandes escavações com intuito de encontrar minerais que tivesse valor de mercado, atividade que até hoje não alcançou o objetivo.