Macapá - AP
Macapá - AP

Capital             Macapá - AP                           
Área (km²) 142 814,585
Número de municípios 16
População estimada em 2010 668 689

 

 
Vitória do Jari 1 - AP Vitória do Jari 2 - AP Vitória do Jari 3 - AP Vitória do Jari 4 - AP

Vitória do Jari - AP

Vitória do Jari - AP Amapá - AP           
População 12 445
Vitória do Jari é um município no Estado do Amapá, na mesorregião do Sul do Amapá e microrregião de Mazagão. A população estimada em 2005 era de 11.041 habitantes e a área é de 2.483 km², o que resulta numa densidade demográfica de 4,44 hab/km².

Seus limites são Mazagão ao norte, Laranjal do Jari a noroeste e Gurupá (PA) ao sul.

O município de Vitória do Jari, desmembrado do município de Laranjal do Jari, foi criado por determinação da lei n.º 0171, de 8 de setembro de 1994.

O município surgiu do anseio da população ver transformado em benefícios para a localidade os impostos pagos pela CADAM (empresa que explora o minério daquela região). Trata-se de um núcleo populacional formado por pessoas que trabalhavam no parque industrial da CADAM. Logo essas pessoas fixaram residência no local e criaram rapidamente uma espécie de pólo econômico ativo, onde se instalaram inúmeras atividades de comércio e serviços, destinados a atender necessidades imediatas da população. O núcleo rapidamente cresceu e adquiriu condições para se transformar em município.

Por estar praticamente dentro do Município de Laranjal do Jari, Vitória do Jari, conhecido popularmente por Beiradinho, enfrenta praticamente os mesmos problemas que ocorrem naquele município: enchentes, desemprego e, sobretudo, péssimas condições de moradia para a população menos assistida.

Vitória do Jari é o mais novo município do Estado e sua emancipação político-administrativa deu-se em 08 de setembro de 1994. Suas origens estão diretamente ligadas à história de desenvolvimento de Laranjal do Jari, particularmente aos acontecimentos referentes à instalação e funcionamento do Projeto Jari Florestal. A sede do município ainda hoje representa uma ampliação das estratégias de ocupação ribeirinha iniciada em Laranjal do Jari, ambas compartilhando dos mesmos benefícios e problemas refletidos pelas condições de vida palafítica de suas populações e pelos interesses conflitantes com o empreendimento que lhes promovem maior sustentação econômica. 

As águas calmas do rio Jari, com sua paisagem ribeirinha destacada, ora pela várzea, ora pela visão de terra alta florestada, compõem um conjunto cênico de grande beleza.