Maceió - AL
Maceió - AL

Capital Maceió - AL                               
Area (Km²)   27.767,661
Números de Municípios 102
População estimada em 2010 3.120.922

 

 
Chã Preta 1 - AL Chã Preta 2 - AL Chã Preta 3 - AL Chã Preta 3 - AL

Chã Preta - AL

Chã Preta - AL  Alagoas - AL    
População 7.146
Chã Preta é um município localizado no estado brasileiro de Alagoas, limitando-se a norte com o município de Santana do Mundaú e o Estado de Pernambuco, a sul e leste com Viçosa e a oeste com Quebrangulo e o estado de Pernambuco. A área municipal ocupa 201,3 km2 (0,72% de AL), inserida na mesoregião do Leste Alagoano e na microregião Serrana dos Quilombos. O município possui a segunda maior Serra do Estado, com 846 metros de altitude, Serra do Cavaleiro, considerada mística por sido refúgio de tribos indígenas em tempos remotos, vale a pena conhecer a princesa dos montes!

A Chapada dos Quilombolas

Próxima à cidadela dos Palmares, a famosa "Tróia Negra" de Zumbi, Ganga Zumba e Aqualtune, o sítio onde está situada a cidade é uma chapada que foi originalmente habitada por famílias remanescentes do famoso quilombo e de escravos dos engenhos da região. Afastada dos núcleos urbanos mais importantes como Viçosa e União, nos tempos iniciais o lugar de acesso difícil abrigava sitiantes esparsos que cuidavam de suas criações e de lavoura de subsistência. Um pouco antes da abolição da escravatura, lá pelos idos de 1865, no lugar onde fica a parte central da cidade, aparece a Fazenda Chã Preta, instalada pela família Inácio. A propriedade contava com um engenho de açúcar que era movimentado pelos membros daquela família. O casal Inácio tinha doze filhos. Como passar do tempo, esses foram se casando e surgiram sérios desentendimentos entre os seus numerosos membros, agora acrescidos de genros e noras. Desgostosos com a discórdia na família, o patriarca e a matriarca decidiram vender a propriedade e ir para longe.

O comprador, Manoel Roberto Brandão, não se interessou pelo engenho, preferindo a criação de gado e o plantio de outras culturas. Naquela fase, chegaram à região outros moradores pertencentes às famílias Teixeira de Vasconcelos, Ferreira e Canuto de Souza. Em 1909 foi realizada a primeira feira. O povoado crescia lentamente, pertencendo a Viçosa. Uma sucessora da propriedade principal, Teresinha de Jesus Brandão, construiu a primeira capela, sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição. Uma rivalidade com um povoado vizinho, o de Tobias, gerou uma série de desentendimentos e mortes, que ocorriam nas festividades e feiras. Chã Preta superou Tobias com o seu movimento. Durante muito tempo, suas lideranças lutaram contra o abandono da povoação e pela sua autonomia. Correntes, em Pernambuco, praticamente assumiu a tutela de Chã Preta durante alguns anos. Com a constituição de 1946, Chã Preta passou a ter representação na câmara de vereadores de Viçosa. Liderado por José Firmino Teixeira de Vasconselos e o ex-governador Luiz Cavalcante, o movimento pela emancipação chegou ao auge. Em 03 de fevereiro de 1962, o povoado foi emancipado. A lei nº. 2432/1962, consolidou as aspirações daqueles que sonhavam com a sua dependência político-administrativa, desmembrando Chã Preta de Viçosa, com território constituído de um só distrito, o de sua sede, passando então de povoado à cidade, ocorrendo à instalação oficial no dia 11 de março do mesmo ano.

O movimento que iniciou a povoação, também foi liderado por Terezinha Brandão e o Coronel Pedro Teixeira de Vasconselhos (comisário de policia e intendente de Viçosa e aliado do chefe politico, o corenel Ismael Brandão que garantiria a ordem do novo povoado na disputa com Tobias que existiu até os anos 40 como povoado forte apesar de Chã Preta ser também um povoado) que com a primeira feira em 09-02-1909 fundaram o povoado de Chã Preta. Nos meados de 1930 ao ser elevado distrito de Viçosa liderado pelas lideranças politicas de Francisco Teixeira de Vasconselos e seus cunhados o deputado Izidro Teixeira de Vasconselhos o doutor Izidro Vasconselhos, Narciso Vasconselhos e João Vasconselhos.

No processo de emancipação ao lado de José Firmino, e o mais forte empenho de TABELIAO IZIDRO TEIXEIRA que reuniu as lideranças e o povo para efetuar o processo de emancipação, junto com seu cunhado DEPUTADO ARMANDO SOARES. O VEREADOR CLOVIS TEIXEIRA E JOSE TENORIO DE ALBUQUERQUE tanbém foram decisivos no processo junto com JOSE FIRMINO, PEDRO TEIXEIRA, JORGE REBELO E RENATO HOLANDA.(DADOS CORRETIVOS A ESTE TEXTO QUE FACO E ESTAO COM REPORTAGENS DAS EPOCAS, DOCUMENTOS DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA E CAMARA MUNICIPAL NO MEU LIVRO PESQUISANDO CHA PRETA)

Quanto à origem do nome do município, há duas teorias históricas:

1ª) Devido às queimadas que anualmente se faziam nestas terras, os trabalhadores, moradores e viajantes da região, observavam devido à elevação do local, que a chapada, ou chã, ficava muito preta;

2ª) Dizem que antigos moradores da chã eram de famílias de pessoas de pele negra, isto muito antes da povoação; e os viajantes que percorriam os velhos caminhos de Viçosa à Correntes, paravam na região para repouso e a identificavam como a “chã que residiam os negros”; ou “na chã dos pretos”; vindo depois a ser chamada de a Chã Preta.

O clima é do tipo Tropical Chuvoso com verão seco. O período chuvoso começa no outono/inverno tendo início em dezembro/janeiro e término em setembro. A precipitação média anual é de 1309,9 mm.

A vegetação é predominantemente do tipo Floresta Subperenifólia, com partes de Floresta Hipoxerófila.